Via Lucis em Família – II

VI ESTAÇÃO: JESUS APARECE AOS SEUS DISCÍPULOS

Pai: Nós vos adoramos e bendizemos, Jesus Salvador

Todos: Que pela vossa Ressurreição nos dais a vida feliz, Aleluia!

Mãe: Do Evangelho segundo São Lucas (24, 36-49): “Enquanto eles falavam disto, Ele apresentou-se no meio deles e disse-lhes: “A paz esteja convosco!”, mas, aterrorizados e assustados, pensavam estar a ver um espírito. Disse-lhes: “Porque estais perturbados e por que razão surgem esses pensamentos no vosso coração? Vede as minhas mãos e os meus pés: sou Eu mesmo”. “Assim está escrito que o Cristo havia de sofrer e ressuscitar dos mortos ao terceiro dia, e que havia de ser proclamada, em seu nome, a conversão para o perdão dos pecados a todos os povos. Começando por Jerusalém, vós sois testemunhas destas coisas. E eis que Eu vou enviar sobre vós a promessa de meu Pai; vós, ficai na cidade até serdes revestidos com o poder do alto”.

Avós (Pai): Senhor Jesus quando o medo e a inquietação nos abatem

Todos: Envia sobre nós a Tua Paz!

Avós (Mãe): Corrige o nosso modo de pensar e de viver

Todos: Envia sobre nós a Tua Paz!

Avós (Filhos): Faz que descubramos o valor profundo de estar contigo

Todos: Envia sobre nós a Tua Paz!

Todos: Pai nosso…

VII ESTAÇÃO: JESUS DÁ O PODER DE PERDOAR

Pai: Nós vos adoramos e bendizemos, Jesus Salvador

Todos: Que pela vossa Ressurreição nos dais a vida feliz, Aleluia!

Mãe: Do Evangelho segundo São João (20, 19-23): “Na tarde daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas as portas do lugar onde estavam os discípulos, por medo dos judeus, veio Jesus e, de pé, no meio deles disse-lhes: “A paz esteja convosco!”. Tendo dito isto, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos alegraram-se ao verem o Senhor”.

Filhos: “Disse-lhes Jesus, de novo: “A paz esteja convosco! Tal como o Pai me enviou, também Eu vos envio”. Tendo dito isto, soprou e disse-lhes: “Recebei o Espírito Santo. Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, serão retidos”.

Avós (Pai): Senhor Jesus faz que reconheçamos as nossas faltas e pecados

Todos: Abre-nos à graça da Reconciliação!

Avós (Mãe): Ajuda-nos a perdoar as ofensas e as indiferenças

Todos: Abre-nos à graça da Reconciliação!

Avós (Filhos): Faz-nos crescer como testemunhas do Teu amor

Todos: Abre-nos à graça da Reconciliação!

Todos: Pai nosso…

VIII ESTAÇÃO: JESUS CONFIRMA A FÉ

Pai: Nós vos adoramos e bendizemos, Jesus Salvador

Todos: Que pela vossa Ressurreição nos dais a vida feliz, Aleluia!

Mãe: Do Evangelho segundo São João (20, 24-29): “Ora, Tomé, um dos Doze, o chamado Dídimo, não estava com eles quando veio Jesus. Diziam-lhe, então, os outros discípulos: “Vimos o Senhor!”. Mas ele disse-lhes: “Se não vir nas suas mãos o lugar dos pregos, não meter o meu dedo no lugar dos pregos e não meter a minha mão no seu lado, jamais acreditarei”.

Filhos: “Oito dias depois, estavam de novo os seus discípulos dentro e Tomé com eles. Estando fechadas as portas, veio Jesus e, de pé, no meio, disse: “A paz esteja convosco!”. Depois disse a Tomé: “Traz aqui o teu dedo e vê as minhas mãos; traz a tua mão e mete-a no meu lado. E não te tornes incrédulo, mas crente”. Respondeu Tomé e disse-lhe: “Meu Senhor e meu Deus!”. Disse-lhe Jesus: “Porque me viste, acreditaste! Felizes os que não viram e acreditaram!”.

Avós (Pai): Senhor Jesus liberta-nos da nossa incredulidade

Todos: Meu Senhor e meu Deus!

Avós (Mãe): Faz que saibamos ver-te nos mais pequeninos como nos ensinaste

Todos: Meu Senhor e meu Deus!

Avós (Filhos): Suscita em nós o desejo da contemplação

Todos: Meu Senhor e meu Deus!

Todos: Pai nosso…

IX ESTAÇÃO: JESUS MANIFESTA-SE EM TIBERÍADES

Pai: Nós vos adoramos e bendizemos, Jesus Salvador

Todos: Que pela vossa Ressurreição nos dais a vida feliz, Aleluia!

Mãe: Do Evangelho segundo São João (21, 1-7): “Saíram e subiram para o barco, mas naquela noite não apanharam nada. Já ao surgir da manhã, Jesus estava de pé na margem, mas os discípulos não sabiam que era Jesus. Disse-lhes, então, Jesus: “Rapazes, tendes alguma coisa para comer?”. Responderam-lhe: “Não”. Mas ele disse-lhes: “Lançai a rede para a parte direita do barco e encontrareis”.

Filhos: “Lançaram então; e já nem a conseguiam puxar, por causa da quantidade dos peixes. Então o discípulo, aquele que Jesus amava, disse a Pedro: “É o Senhor!”. Quando Simão Pedro ouviu: “É o Senhor!”, cingiu as vestes, pois estava nu, e lançou-se ao mar”.

Avós (Pai): Senhor Jesus quando as fadigas de cada dia nos fazem desanimar

Todos: Envolvei-nos no vosso amor!

Avós (Mãe): Ao experimentarmos os vazios e as dificuldades da vida

Todos: Envolvei-nos no vosso amor!

Avós (Filhos): Quando perdemos a coragem nos nossos esforços e a perseverança

Todos: Envolvei-nos no vosso amor!

Todos: Pai nosso…

X ESTAÇÃO: JESUS CONFIA O PRIMADO DA IGREJA A PEDRO

Pai: Nós vos adoramos e bendizemos, Jesus Salvador

Todos: Que pela vossa Ressurreição nos dais a vida feliz, Aleluia!

Mãe: Do Evangelho segundo São João (21, 15-19): “Depois de terem comido, disse Jesus a Simão Pedro: “Simão, filho de João, amas-me mais do que estes?”. Disse-lhe: “Sim, Senhor, Tu sabes que sou teu amigo”. Disse-lhe Ele: “Apascenta os meus cordeiros”. Disse-lhe, de novo, pela segunda vez: “Simão, filho de Jonas, amas-me?”. Disse-lhe: “Sim, Senhor, Tu sabes que sou teu amigo”. Disse-lhe Jesus: “Pastoreia as minhas ovelhas”.

Filhos: “Disse-lhe pela terceira vez: “Simão, filho de João, és meu amigo?”. Pedro entristeceu-se por Jesus lhe ter dito pela terceira vez: “És meu amigo?” e disse-lhe: “Senhor, Tu sabes tudo; Tu sabes que sou teu amigo!”. Disse-lhe Jesus: “Apascenta as minhas ovelhas. (…) E, tendo dito isto, disse-lhe: “Segue-me”.

Avós (Pai): Senhor Jesus porque não somos capazes de Te amar com pureza

Todos: Aceitai, Senhor, a verdade da nossa amizade!

Avós (Mãe): Libertai-nos da mediocridade e das nossas falsas seguranças

Todos: Aceitai, Senhor, a verdade da nossa amizade!

Avós (Filhos): Faz-nos esperar com paciência o teu abraço misericordioso

Todos: Aceitai, Senhor, a verdade da nossa amizade!

Todos: Pai nosso…

Abrir

Via Lucis em Família – I

Pai: Em nome do Pai, Senhor que nos dá a vida; e do Filho que foi Ressuscitado; e do Espírito Santo, dom do Seu amor.

Todos: Pai nosso…

Mãe: Em família e em comunhão com a Igreja, o povo santo de Deus, vamos percorrer um caminho, contemplando e meditando na presença de Jesus Ressuscitado nas nossas vidas. Fazemos memória dessa presença revisitando a história da salvação e relendo as Sagradas Escrituras. Elas falam sobre os extraordinários acontecimentos que foram vividos pelos discípulos de Jesus Cristo, depois da Sua paixão e morte, reveladores que Ele vencera a morte e estava, na verdade, Vivo.

Pai: Senhor Deus, fonte da Vida, que no Teu Filho Jesus Cristo, vencedor da morte, nos abres as portas do Teu Reino e mostras aos errantes a luz da verdade para poderem voltar ao bom caminho, concede-nos a nós e a quantos se declaram cristãos que, rejeitando tudo o que é indigno deste nome, sigamos fielmente as exigências da fé, dando testemunho pela nossa vida da Ressurreição de Jesus.

Todos: Amen.

I ESTAÇÃO: JESUS CRISTO VENCE A MORTE

Pai: Nós vos adoramos e bendizemos, Jesus Salvador

Todos: Que pela vossa Ressurreição nos dais a vida feliz, Aleluia!

Mãe: Do Evangelho segundo São Mateus (28, 1-7): “Depois do Sábado, ao raiar do primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o túmulo. E eis que houve um grande tremor de terra, pois um anjo do Senhor, descendo do céu e aproximando-se, rolou a pedra e sentou-se em cima dela.

Filhos: “O anjo disse às mulheres: ‘Não tenhais medo! Sei que procurais Jesus, o Crucificado. Não está aqui, pois ressuscitou como disse’”.

Avós (Pai): Senhor Jesus, também nós te procuramos em nosso amor

Todos: Faz-nos vencer o medo do mal e da morte!

Avós (Mãe): Há momentos de dúvida, de abandono, sofrimento e tristeza

Todos: Faz-nos vencer o medo do mal e da morte!

Avós (Filhos): Faz que saibamos encontrar-te pela fé

Todos: Faz-nos vencer o medo do mal e da morte!

Todos: Pai nosso…

II ESTAÇÃO: JUNTO AO SEPULCRO

Pai: Nós vos adoramos e bendizemos, Jesus Salvador

Todos: Que pela vossa Ressurreição nos dais a vida feliz, Aleluia!

Mãe: Do Evangelho segundo São João (20, 1-10): “No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi de manhã cedo ao sepulcro, estando ainda escuro, e viu que a pedra tinha sido retirada do sepulcro. Foi a correr ter com Simão Pedro e com o outro discípulo, aquele de quem Jesus era amigo, e disse-lhes: “Tiraram o Senhor do sepulcro e não sabemos onde o puseram”.

Filhos: “Pedro e o outro discípulo saíram, então, e foram ao sepulcro. Corriam os dois juntos, mas o outro discípulo correu mais depressa do que Pedro e chegou primeiro ao sepulcro. (…) Viu e acreditou. De facto, ainda não tinham compreendido a Escritura: era necessário Ele ressuscitar dos mortos. Os discípulos foram, então, novamente para junto dos seus”.

Avós (Pai): Senhor Jesus aviva nas horas de sofrimento a nossa fé

Todos: Dá-nos um coração cheio de Esperança!

Avós (Mãe): Cuida e protege quem é esmagado pela provação

Todos: Dá-nos um coração cheio de Esperança!

Avós (Filhos): Nas tuas mãos depomos as nossas vidas

Todos: Dá-nos um coração cheio de Esperança!

Todos: Pai nosso…

III ESTAÇÃO: O ENCONTRO COM A DISCÍPULA

Pai: Nós vos adoramos e bendizemos, Jesus Salvador

Todos: Que pela vossa Ressurreição nos dais a vida feliz, Aleluia!

Mãe: Do Evangelho segundo São João (28, 11-18): “Maria, porém, estava de pé junto ao sepulcro, do lado de fora, a chorar. Então, enquanto choravam, debruçou-se para o sepulcro e viu dois anjos em vestes brancas, sentados um à cabeceira e outro aos pés do lugar onde tinha sido deposto o corpo de Jesus. Disseram-lhes eles: “Mulher, porque choras?”. Disse-lhes: “Tiraram o meu Senhor, e não sei onde o puseram”.

Filhos: Tendo dito isto, voltou-se para trás e viu Jesus de pé, mas não sabia que era Jesus. Disse-lhe Jesus: “Mulher, porque choras? A quem procuras?” Ela, pensando que era o jardineiro, disse-lhe: “Senhor, se foste Tu que o levaste, diz-me onde o puseste, e eu irei busca-lo”. Disse-lhe Jesus: “Maria!”. Ela, voltando-se, disse-lhe em hebraico: “Rabúni!” – que significa “Mestre!”.

Avós (Pai): Senhor Jesus acolhe as lágrimas das nossas dúvidas e tristezas

Todos: Faz que te vejamos com o nosso coração!

Avós (Mãe): Cura-nos e consola-nos dos nossos sofrimentos

Todos: Faz que te vejamos com o nosso coração!

Avós (Filhos): Torna-nos dignos de testemunhar a tua Ressurreição.

Todos: Faz que te vejamos com o nosso coração!

Todos: Pai nosso…

IV ESTAÇÃO: JESUS CAMINHA COM OS DISCÍPULOS DE EMAÚS

Pai: Nós vos adoramos e bendizemos, Jesus Salvador

Todos: Que pela vossa Ressurreição nos dais a vida feliz, Aleluia!

Mãe: Do Evangelho segundo São Lucas (24, 13-19.25-27): “E eis que nesse mesmo dia dois deles estavam a caminho de uma povoação, de nome Emaús, que distava sessenta estádios de Jerusalém. Eles conversavam um com o outro acerca de tudo o que acontecera. E aconteceu que, enquanto eles conversavam e debatiam, o próprio Jesus, aproximando-se, pôs-se a caminhar com eles. Os seus olhos, porém, estavam impedidos de o reconhecer”.

Filhos: Então Ele disse-lhes: “Ó desprovidos de inteligência e lentos de coração para acreditar em tudo quanto disseram os Profetas! Não era necessário que o Cristo sofresse estas coisas, para entrar na Sua glória?” E, começando a partir de Moisés, e de todos os Profetas, explicou-lhes, em todas as Escrituras, o que a Ele dizia respeito”.

Avós (Pai): Senhor Jesus faz-te presente no nosso peregrinar

Todos: Ilumina o nosso coração com a Palavra de Deus!

Avós (Mãe): Reaviva a nossa fé e fortalece o nosso amor

Todos: Ilumina o nosso coração com a Palavra de Deus!

Avós (Filhos): Faz que a Palavra seja semente que frutifica na nossa vida

Todos: Ilumina o nosso coração com a Palavra de Deus!

Todos: Pai nosso…

V ESTAÇÃO: JESUS MANIFESTA-SE NO PARTIR DO PÃO

Pai: Nós vos adoramos e bendizemos, Jesus Salvador

Todos: Que pela vossa Ressurreição nos dais a vida feliz, Aleluia!

Mãe: Do Evangelho segundo São Lucas (24, 28-35): “Aproximaram-se da povoação para onde iam, e Ele fez menção de seguir adiante, mas eles insistiram com Ele, dizendo: “Fica connosco, porque é tarde e o dia já está a declinar”. Entrou, então, para permanecer com eles”.

Filhos: “E aconteceu que, quando Ele se reclinou com eles à mesa, tomando o pão, pronunciou a bênção e, partindo-o, deu-lho. Abriram-se-lhes os olhos e reconheceram-no mas Ele deixou de lhes ser visível. Diziam, então, um ao outro: “Não nos ardia o nosso coração quando Ele no caminho nos falava, quando nos abria as Escrituras?”

Avós (Pai): Senhor Jesus fica connosco nos entardeceres da nossa vida

Todos: Dá-nos sempre do Teu Pão!

Avós (Mãe): Faz que o nosso coração arda na escuta da Vossa Palavra Todos: Dá-nos sempre do Teu Pão!

Avós (Filhos): Faz-nos entender que não há plenitude de vida sem a Tua presença

Filhos: Dá-nos sempre do Teu Pão!

Todos: Pai nosso…

Abrir

Feliz e Santa Páscoa 2020

– O acontecimento da morte e da ressurreição de Cristo é o coração do Cristianismo, o ponto central e fundamental da nossa fé, o poderoso impulso da nossa certeza, o vento forte que afugenta toda a angústia e incerteza, a dúvida e o calculismo humano. (Bento XVI)

– «Cristo, minha esperança, ressuscitou!» Não se trata duma fórmula mágica, que faça desvanecerem-se os problemas. Não! A ressurreição de Cristo não é isso. Mas é a vitória do amor sobre a raiz do mal, uma vitória que não «salta» por cima do sofrimento e da morte, mas atravessa-os abrindo uma estrada no abismo, transformando o mal em bem: marca exclusiva do poder de Deus. (Papa Francisco)

– Na Páscoa fala-se de ressurreição e de novidade. Mas a ressurreição que Cristo veio revelar não é voltar a este mundo pesado e conflituoso. É a certeza de passar para outro, de beleza e paz, cujas sementes estão já neste. Só que a semente não vê ainda o fruto. E tem que morrer para dar fruto.(Vasco P. Magalhães, sj)

– O Senhor nos livre desta terrível armadilha: sermos cristãos sem esperança, que vivem como se o Senhor não tivesse ressuscitado. (Papa Francisco)

Rainha do Céu

Rainha dos Céu, alegrai-vos. Aleluia! / Porque Aquele que merecestes trazer em vosso seio. Aleluia! / Ressuscitou como disse. Aleluia! / Rogai por nós a Deus. Aleluia

Alegrai-vos e exultai, ó Virgem Maria. Aleluia! / Porque o Senhor ressuscitou, verdadeiramente. Aleluia!

Ó Deus, que Vos dignastes alegrar o mundo com a Ressurreição do Vosso Filho Jesus Cristo, Senhor nosso, concedei-nos, Vos suplicamos, que por sua Mãe, a Virgem Maria, alcancemos as alegrias da vida eterna. Por Cristo, Senhor Nosso. Amen.

Abrir

Sexta-feira santa

– Só quem seriamente ponderou quão pesada é a cruz pode conceber quão pesado é o pecado. (Santo Anselmo de Cantuária)

– Não há sofrimento maior para a pessoa do que o pensamento de ter sido abandonado por Deus… A alma experimenta vivamente a sombra da morte, o lamento da morte e os sofrimentos do inferno. (São João da Cruz)

– Se levares alegre a tua cruz, ela te levará. (Tomás de Kempis)

– Naquela sexta-feira, em Jerusalém, por volta do ano 30, mataram Jesus. Continua a matar-se, por esse mundo fora, quem faz frente ao poder, quem incomoda os instalados deste mundo. Há quem não queira que o mundo avance por egoísmo, ambição e orgulho cego. Há quem não queira acabar com a impunidade dos ditadores ou denunciar o comércio de armas, por exemplo. E Cristo aceitou morrer para denunciar a injustiça e a mentira. (Vasco P. Magalhães, sj )

– Na Cruz é o próprio Deus que mendiga o amor da sua criatura. Ele tem sede do amor de cada um de nós. (Bento XVI)

Abrir

Via Sacra. Caminhar com Jesus em tempo de pandemia (III)

VIA SACRA. CAMINHAR COM JESUS EM TEMPO DE PANDEMIA

XI ESTAÇÃO

Jesus é pregado na Cruz

Nós Vos adoramos e bendizemos, ó Jesus,

Que pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Do Evangelho segundo São Lucas (23, 33-34)

Quando chegaram ao lugar chamado Calvário, crucificaram-No a Ele e aos malfeitores, um à direita e outro à esquerda. Jesus dizia: «Perdoa-lhes, Pai, porque não sabem o que fazem».

Meditação e oração

Na cruz de Jesus, contemplamos todos os que vivem um tempo de maior cruz numa cama de hospital, no isolamento ou no medo.

Com todos os doentes, rezamos: Eis-me diante de Ti, Senhor, na doença e nas feridas do coração. A ti estendo tremente a mão para tocar a ferida do lado e tirar água para a minha sede e bálsamo para as minhas chagas. Dai-me a força, Crucificado Senhor, de ser amor também na dor. Acaricia Tu a minha alma para que consolação para mim seja. Abraça o meu espírito e o corpo doente, e faz com que por ti seja curado. Visita com Maria, a Virgem Mãe, esta casa para que nela haja paz. Regozija de alegria e ternura toda a solidão e tristeza. Acende no meu coração a esperança, e ajuda-me a acreditar com constância, para ser contigo, meu Senhor, um altar de graça e de amor. Ámen. (Oração do doente de D. Mario Russotto).

Pai nosso…

XII ESTAÇÃO

Jesus morre na Cruz

Nós Vos adoramos e bendizemos, ó Jesus,

Que pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Do Evangelho segundo São Lucas (23, 44-47)

Por volta do meio-dia, as trevas cobriram toda a região até às três horas da tarde. O sol tinha-se eclipsado e o véu do templo rasgou-se ao meio. Dando um forte grito, Jesus exclamou: «Pai, nas tuas mãos, entrego o meu espírito». Dito isto expirou. Ao ver o que se passava, o centurião deu glória a Deus, dizendo: «Verdadeiramente este homem era justo!»

Meditação e oração

Contemplamos Jesus morto na cruz. Num momento de silêncio orante, entregando nas mãos de Deus todos os que morreram vítimas do Covid-19.

Escutemos de novo o Papa Francisco: “Abraçar a sua cruz significa encontrar a coragem de abraçar todas as contrariedades da hora atual, abandonando por um momento a nossa ânsia de omnipotência e possessão, para dar espaço à criatividade que só o Espírito é capaz de suscitar. Significa encontrar a coragem de abrir espaços onde todos possam sentir-se chamados e permitir novas formas de hospitalidade, de fraternidade e de solidariedade. Na sua cruz, fomos salvos para acolher a esperança e deixar que seja ela a fortalecer e sustentar todas as medidas e estradas que nos possam ajudar a salvaguardar-nos e a salvaguardar. Abraçar o Senhor, para abraçar a esperança. Aqui está a força da fé, que liberta do medo e dá esperança.”

Pai nosso…

XIII ESTAÇÃO

Jesus é descido da Cruz

Nós Vos adoramos e bendizemos, ó Jesus,

Que pela vossa santa cruz remistes o mundo.

 

Do Evangelho segundo São João (19, 38-40)

Depois disto, José de Arimateia, que era discípulo de Jesus, mas secretamente por medo das autoridades judaicas, pediu a Pilatos que lhe deixasse levar o corpo de Jesus. E Pilatos permitiu-lho. Veio, pois, e retirou o corpo. Nicodemos, aquele que antes tinha ido ter com Jesus de noite, apareceu também trazendo uma mistura de perto de cem libras de mirra e aloés. Tomaram, então, o corpo de Jesus e envolverem-no em panos de linho com os perfumes, segundo o costume dos judeus.

Meditação e oração

Enquanto a sombra do sepulcro se estende sobre o corpo de Jesus deitado nos braços da Mãe, continuam também os nossos medos… Mas não o desespero: habita-nos a confiança e a fé na luz da Páscoa que voltará a resplandecer.

Ao consagrar-se ao teu Sagrado Coração, entrega-se a Igreja à guarda do Coração Imaculado de Maria, configurado pela luz da tua Páscoa e aqui revelado a três crianças como refúgio e caminho que ao teu coração conduz. Seja a Virgem Santa Maria, a Senhora do Rosário de Fátima, a Saúde dos Enfermos e o Refúgio dos Teus discípulos gerados junto à Cruz do teu amor. Seja o Imaculado Coração de Maria, a quem nos entregamos, connosco a dizer: — nesta singular hora de sofrimento, acolhe os que perecem, dá alento aos que a Ti se consagram e renova o universo e a humanidade. Ámen. (Do Ato de Consagração, Fátima, 25 de março de 2020)

Pai nosso…

XIV ESTAÇÃO

Jesus é depositado no sepulcro

Nós Vos adoramos e bendizemos, ó Jesus,

Que pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Do Evangelho segundo São João (19, 41-42)

No sítio em que Ele tinha sido crucificado, havia um horto e, no horto, um túmulo novo, onde ainda ninguém tinha sido sepultado. Como, para os judeus, era o dia da Preparação da Páscoa e o túmulo estava perto, foi ali que puseram Jesus.

Meditação e oração

A pedra à entrada da sepultura de Jesus parece matar toda a esperança. Os discípulos não podiam supor, no entanto, que estavam mais perto que nunca da Ressurreição! Cada dia que passa, estamos um dia mais próximo do fim desta pandemia. Não sabemos quando será esse dia, nem isto pode servir para nos descuidarmos na sua prevenção ou tratamento. Mas dá-nos alento e fortalece a nossa esperança.

Terminamos escutando de novo o Santo Padre: “«Por que sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?» Queridos irmãos e irmãs, deste lugar que atesta a fé rochosa de Pedro, gostaria nesta tarde de vos confiar a todos ao Senhor, pela intercessão de Nossa Senhora, saúde do seu povo, estrela do mar em tempestade. Desta colunata que abraça Roma e o mundo desça sobre vós, como um abraço consolador, a bênção de Deus. Senhor, abençoa o mundo, dá saúde aos corpos e conforto aos corações! Pedes-nos para não ter medo; a nossa fé, porém, é fraca e sentimo-nos temerosos. Mas Tu, Senhor, não nos deixes à mercê da tempestade. Continua a repetir-nos: «Não tenhais medo!» (Mt 14, 27). E nós, juntamente com Pedro, «confiamos-Te todas as nossas preocupações, porque Tu tens cuidado de nós» (cf. 1 Ped 5, 7).”

Pai nosso…

ORAÇÃO PARA PEDIR AJUDA, CONFORTO E SALVAÇÃO

Deus Pai, Criador do mundo, omnipotente e misericordioso, que por nosso amor enviaste o teu Filho ao mundo como médico dos corpos e das almas, olha para os teus filhos que neste momento difícil de desorientação e consternação em muitas regiões da Europa e do mundo se voltam para Ti em busca de força, salvação e alívio.

Livra-nos da doença e do medo, cura os nossos doentes, conforta os seus familiares, dá sabedoria aos nossos governantes, energia e recompensa aos médicos, enfermeiros e voluntários, vida eterna aos defuntos. Não nos abandones neste momento de provação, mas livra-nos de todo o mal. Tudo isto Te pedimos, ó Pai que, com o Filho e o Espírito Santo, vives e reinas pelos séculos dos séculos. Ámen.

Santa Maria, Mãe da saúde e da esperança, roga por nós!

Bispos da Europa

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

Ámen.

Abrir

Via Sacra. Caminhar com Jesus em tempo de pandemia (II)

VIA SACRA. CAMINHAR COM JESUS EM TEMPO DE PANDEMIA

VI ESTAÇÃO

A Verónica limpa o rosto de Jesus

Nós Vos adoramos e bendizemos, ó Jesus,

Que pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Do Livro do profeta Isaías (53, 2-3)

Sem figura nem beleza, vimo-Lo sem aspeto atraente, desprezado e abandonado pelos homens, como alguém cheio de dores, habituado ao sofrimento, diante do qual se tapa o rosto, menosprezado e desconsiderado.

Meditação e oração

Uma mulher abre caminho através da multidão para ver de perto o rosto de Jesus, marcado pela dor. Não fica indiferente. Quer ajudar. Trazer um pouco de dignidade a quem assim sofre. Verónica limpa o rosto de Jesus, como hoje tantos se aproximam dos que estão envolvidos pelo sofrimento e a doença. “Quantas pessoas dia a dia – voltamos ao texto do Papa Francisco – exercitam a paciência e infundem esperança, tendo a peito não semear pânico, mas corresponsabilidade! Quantos pais, mães, avôs e avós, professores mostram às nossas crianças, com pequenos gestos do dia a dia, como enfrentar e atravessar uma crise, readaptando hábitos, levantando o olhar e estimulando a oração!”

Agradecemos-te, Senhor, por quantos estão ao serviço da saúde da humanidade: os médicos, os enfermeiros, os agentes de saúde, os investigadores, e todos aqueles que tratam as pessoas doentes. Agradecemos-te por quantos vivem este serviço com paixão e generosidade, com competência e humanidade, no sacrifício diário de si próprios. (Da oração por todos os que tratam dos doentes, de D. Paolo Ricciardi).

Pai nosso…

VII ESTAÇÃO

Jesus cai pela segunda vez

Nós Vos adoramos e bendizemos, ó Jesus,

Que pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Do Livro do profeta Isaías (53, 8.10)

Sem defesa nem justiça, levaram-No à força. Quem é que se preocupou com o seu destino? Foi suprimido da terra dos vivos, mas por causa dos pecados do meu povo é que foi ferido. (…) Mas aprouve ao Senhor esmagá-Lo com sofrimento.

Meditação e oração

Voltando a cair, Jesus envia-nos uma mensagem clara de humildade: tornou-se um como nós e, agora, mostra-se solidário com as mesmas canseiras, as mesmas fraquezas de cada um de nós… Quantas vezes não voltamos a desanimar, a cair por terra?… Uma suspeita, um sintoma… em mim ou alguém próximo. Jesus sabe onde esse caminho O conduz, mas sabe também que a cruz é caminho para a Ressurreição. Não desiste, volta a levantar-se e a dar tudo de si, para a todos nos dar a esperança para além de todas as esperanças…

Coração de Jesus Cristo, médico das almas, nesta singular hora de sofrimento, ampara as crianças, os anciãos e os mais vulneráveis, conforta os médicos, os enfermeiros, os profissionais de saúde e os voluntários cuidadores, fortalece as famílias e reforça-nos na cidadania e na solidariedade, sê a luz dos moribundos, acolhe no teu reino os defuntos, afasta de nós todo o mal e livra-nos da pandemia que nos atinge. (Do Ato de Consagração de Portugal e Espanha ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria, Fátima, 25 de março de 2020).

 Pai nosso…

VIII ESTAÇÃO

Jesus encontra as mulheres de Jerusalém

Nós Vos adoramos e bendizemos, ó Jesus,

Que pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Do Evangelho segundo São Lucas (23, 27-30)

Seguiam Jesus uma grande multidão de povo e umas mulheres que batiam no peito e se lamentavam por Ele. Jesus voltou-Se para elas e disse-lhes: «Filhas de Jerusalém, não choreis por Mim, chorai antes por vós mesmas e pelos vossos filhos, pois virão dias em que se dirá: “Felizes as estéreis, os ventres que não geraram e os peitos que não amamentaram”.»

Meditação e oração

No caminho para a cruz, Jesus cruza-se com umas mulheres que se lamentam e choram, não deixando passar indiferente o seu sofrimento… Envolvidos por tantas notícias de dor e morte, devemos vencer o risco de nos tornarmos insensíveis à dor dos outros, e a fazer da compaixão uma súplica que se eleva em oração para Deus. Diz o Papa Francisco: “Quantas pessoas rezam, se imolam e intercedem pelo bem de todos! A oração e o serviço silencioso: são as nossas armas vencedoras.”

Coração de Jesus Cristo, médico das almas, nesta singular hora de sofrimento, assiste a tua Igreja, inspira os governantes das nações, ouve os pobres e os aflitos, exalta os humildes e os oprimidos, cura os doentes e os pecadores, levanta os abatidos e os desanimados, liberta os cativos e os prisioneiros e livra-nos da pandemia que nos atinge. (Do Ato de Consagração, Fátima, 25 de março de 2020).

Pai nosso…

IX ESTAÇÃO

Jesus cai pela terceira vez

Nós Vos adoramos e bendizemos, ó Jesus,

Que pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Do Livro do profeta Isaías (53, 5-6)

Foi ferido por causa dos nossos crimes, esmagado por causa das nossas iniquidades. O castigo que nos salva caiu sobre Ele, fomos curados pelas suas chagas. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas perdidas, cada um segundo o seu caminho. Mas o Senhor carregou sobre Ele todos os nossos crimes.

Meditação e oração

Olhamos de novo Jesus caído por terra. Queda após queda, volta a levantar-se, reanimando também a nossa esperança no meio de todas as quedas, angústias, medos e tristezas… A queda ou doença de alguém não é apenas sua. De alguma forma todos “caímos” juntos: pela amizade ou solidariedade que nos une, pelos medos e preocupações que nos tocam, pelas crises sociais, políticas ou económicas que a todos atingem… Como afirma o Santo Padre, “demo-nos conta de estar no mesmo barco, todos frágeis e desorientados mas ao mesmo tempo importantes e necessários: todos chamados a remar juntos, todos carecidos de mútuo encorajamento. E, neste barco, estamos todos, todos. (…) Também nós nos apercebemos de que não podemos continuar estrada cada qual por conta própria, mas só o conseguiremos juntos.”

Peço-te, Senhor, não nos deixes sós a fazer frente a todos estes riscos que põem em perigo as nossas vidas. Fica connosco, Senhor, e protege os nossos entes queridos e a humanidade inteira de todos os males. (Da oração para salvar o mundo do coronavírus, do Card. Sako).

Pai nosso…

X ESTAÇÃO

Jesus é despojado das vestes

Nós Vos adoramos e bendizemos, ó Jesus,

Que pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Do Evangelho de São João (19, 23)

Os soldados, depois de terem crucificado Jesus, pegaram na roupa d’Ele e fizeram quatro partes, uma para cada soldado, exceto a túnica. A túnica, toda tecida de uma só peça de alto a baixo, não tinha costuras.

Meditação e oração

Diante da nudez de Jesus, voltamos a escutar as palavras do Papa Francisco que nos faz olhar a nós mesmos despidos, sem a “maquilhagem” que o momento que vivemos fez cair: “A tempestade desmascara a nossa vulnerabilidade e deixa a descoberto as falsas e supérfluas seguranças com que construímos os nossos programas, os nossos projetos, os nossos hábitos e prioridades. Mostra-nos como deixamos adormecido e abandonado aquilo que nutre, sustenta e dá força à nossa vida e à nossa comunidade. A tempestade põe a descoberto todos os propósitos de «empacotar» e esquecer o que alimentou a alma dos nossos povos; todas as tentativas de anestesiar com hábitos aparentemente «salvadores», incapazes de fazer apelo às nossas raízes e evocar a memória dos nossos idosos, privando-nos assim da imunidade necessária para enfrentar as adversidades.”

Deus Pai, omnipotente e misericordioso, não nos abandones neste momento de provação, mas livra-nos de todo o mal.

Pai nosso…

Abrir

Via Sacra. Caminhar com Jesus em tempo de pandemia (I)

VIA SACRA. CAMINHAR COM JESUS EM TEMPO DE PANDEMIA

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

Ámen.

O tempo que vivemos faz-nos parar. Interrompe a nossa vida, os nossos hábitos, as nossas celebrações, ritos e tradições. Revela os nossos medos e incertezas, mas também as nossas esperanças. Faz-nos duvidar… e acreditar. Isola-nos… mas também nos torna solidários… É neste tempo que nos aproximamos da Páscoa.

Com Jesus, percorremos o caminho da Cruz. Ao começar este percurso, mais interior que exterior, acompanhado os últimos passos de Jesus, deixemos que o silêncio nos habite, e nos abra ao mistério da vida e da morte, ao mistério da morte para a Vida…

I ESTAÇÃO

Jesus é condenado à morte

Nós Vos adoramos e bendizemos, ó Jesus,

Que pela vossa santa cruz remistes o mundo.

 Do Evangelho segundo São Lucas (23, 22-25)

Pilatos disse pela terceira vez à multidão: «Que mal fez Ele? Nada encontrei n’Ele que mereça a morte. Por isso, vou libertá-Lo, depois de O castigar». Mas eles insistiam em altos brados, pedindo que fosse crucificado, e os seus clamores aumentavam de violência. Então, Pilatos decidiu que se fizesse o que eles pediam. Libertou o que tinha sido preso por rebelião e homicídio e entregou-lhes Jesus para o que eles queriam.

Meditação e oração

Ainda há pouco nos parecia improvável esta quase “condenação” global ao isolamento social, à ausência de contactos próximos, à insegurança, ao quase-medo de todos os que, eventualmente, possamos encontrar numa ida rápida ao supermercado ou à farmácia… Também nesta situação não nos podemos esquecer que a “condenação” não é o fim: como Jesus, podemos viver este tempo como um caminho para a ressurreição!

Senhor Jesus, ajuda-nos, neste momento, a caminhar confiantes, como Tu, ao encontro do Pai, partilhando das dores da humanidade.

 Pai nosso…

II ESTAÇÃO

Jesus é carregado com a Cruz

 Nós Vos adoramos e bendizemos, ó Jesus,

Que pela vossa santa cruz remistes o mundo.

 Do Evangelho segundo São Marcos (8, 34-35)

Chamando a Si a multidão, juntamente com os discípulos, [Jesus] disse-lhes: «Se alguém quiser seguir-Me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-Me. Na verdade, quem quiser salvar a sua vida, há de perdê-la; mas, quem perder a sua vida por causa de Mim e do Evangelho, há de salvá-la».

Meditação e oração

A cruz, no seguimento de Jesus, é caminho para, perdendo, ganhar a vida. A entrega, o serviço, o amor até ao fim, é o caminho de Jesus. É também o projeto que nos propõe. Neste tempo em que tantos carregam uma pesada cruz de doença, de isolamento, de medo… não deixa de ser tempo de seguir Jesus, de abraçar a cruz, de a carregar com amor.

Que esperas de mim, Senhor? Sei que não posso aproximar-me, segurar na mão, dar um abraço a quem tem uma cruz mais pesada que a minha… Posso apenas partilhar a sua cruz no meu coração e na minha oração. Dá-me, Senhor, a força para não desanimar, e a fé para nunca deixar de confiar e amar.

Pai nosso…

III ESTAÇÃO

Jesus cai pela primeira vez

Nós Vos adoramos e bendizemos, ó Jesus,

Que pela vossa santa cruz remistes o mundo.

 Do Livro do profeta Isaías (53, 4-5)

Na verdade, Ele tomou sobre Si as nossas doenças, carregou as nossas dores. Nós O reputávamos como um leproso, ferido por Deus e humilhado.

 Meditação e oração

Ao vermos Jesus cair pela primeira vez, o pensamento leva-nos, neste momento, para os que sentem os primeiros sintomas: a febre, a dificuldade de respirar, a tosse seca… e a questão esmagadora: “Será que fui contaminado?” Para alguns, pode ser só um susto, mas, para outros, chega a confirmação… No nosso isolamento social, que o nosso coração não deixe de se condoer por cada um dos que sofre…

Senhor Jesus, caído sob o peso da cruz, ampara-nos nas nossa quedas, conforta-nos nos nossos medos, conforta aqueles que sofrem e de quem, nestes tempos, não nos podemos aproximar…

 Pai nosso…

IV ESTAÇÃO

Jesus encontra a sua Mãe

Nós Vos adoramos e bendizemos, ó Jesus,

Que pela vossa santa cruz remistes o mundo.

 Do Evangelho de São Lucas (2, 34-35)

Simeão abençoou-os e disse a Maria, sua mãe: «Este menino está aqui para queda e ressurgimento de muitos em Israel e para ser sinal de contradição; uma espada trespassará a tua alma. Assim hão de revelar-se os pensamentos de muitos corações».

 Meditação e oração

Se ao menos pudesse abraçar os meus filhos”, dizia uma mãe, em isolamento, depois de ver sepultar, fechada e isolada, o seu marido que a doença do Covid-19 fez partir mais cedo… Nem essa consolação…

Conta a tradição que Maria cruzou o seu olhar com o de Jesus no caminho do Calvário. Mas também ela, naquele momento, não O pode abraçar… O afastamento dos familiares é uma dor que acresce à dor, mas sabemos que, mesmo temporariamente afastados no contacto físico, mantemos o amor, a comunhão, a amizade no nosso coração.

Vejo-te, Maria, com o olhar fixo no teu filho. Tinha sido profetizado que isto iria acontecer, mas agora que acontece, é tudo diferente… Parece que nunca se está preparado… Tu que viveste essa dor de tão perto, olha agora para o sofrimento que os teus filhos atravessam. Que a tua presença seja consolação e o teu coração refúgio e caminho para Deus.

Pai nosso…

V ESTAÇÃO

Simão de Cirene ajuda Jesus a levar a Cruz

Nós Vos adoramos e bendizemos, ó Jesus,

Que pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Do Evangelho segundo São Lucas (23, 26)

Quando iam conduzindo Jesus, lançaram mão de um certo Simão de Cirene, que voltava do campo, e carregaram-no com a cruz, para a levar atrás dele.

Meditação e oração

Olhando o Cireneu, rezamos com o Papa Francisco, na celebração extraordinária de oração pela pandemia Covid-19 (27 março 2020): “Chamas-nos a aproveitar este tempo de prova como um tempo de decisão. Não é o tempo do teu juízo, mas do nosso juízo: o tempo de decidir o que conta e o que passa, de separar o que é necessário daquilo que não o é. É o tempo de reajustar a rota da vida rumo a Ti, Senhor, e aos outros. E podemos ver tantos companheiros de viagem exemplares, que, no medo, reagiram oferecendo a própria vida. É a força operante do Espírito derramada e plasmada em entregas corajosas e generosas. É a vida do Espírito, capaz de resgatar, valorizar e mostrar como as nossas vidas são tecidas e sustentadas por pessoas comuns (habitualmente esquecidas), que não aparecem nas manchetes dos jornais e revistas, nem nas grandes passarelas do último espetáculo, mas que hoje estão, sem dúvida, a escrever os acontecimentos decisivos da nossa história: médicos, enfermeiros e enfermeiras, trabalhadores dos supermercados, pessoal da limpeza, curadores, transportadores, forças policiais, voluntários, sacerdotes, religiosas e muitos – mas muitos – outros que compreenderam que ninguém se salva sozinho.”

Pai nosso…

Abrir

Consagração a Nossa Senhora do Sameiro

Consagração a Nossa Senhora do Sameiro

Tu podes, és Mãe de Deus; e deves, és nossa Mãe”

Não estamos aqui pelo nosso merecimento. Sabemos das nossas falhas, dos nossos egoísmos, das nossas petulâncias, das nossas desobediências, dos nossos desnortes, dos nossos orgulhos, da mania de sermos deuses que mandam na vida e nisto tudo… Estamos aqui porque acreditamos em Ti, no teu poder mediador, na relação única que tens com Deus e no amor que nos dedicas.

Fomos chamados à realidade da nossa pequenez. Fomos chamados ao essencial, que andava escondido por entre imensas superficialidades. Fomos chamados à redescoberta do verdadeiro sentido da amizade, da fraternidade, da comunhão, da solidariedade, da família, dos amigos, do trabalho, da escola, da vida, até do recolhimento e do silêncio.

Agora, Mãe amada, com a lição aprendida, deixa-nos voltar à rua, deixa-nos ir para a vida nova, pautada pelo coração, pelo amor a Deus e a Ti, pelo amor ao próximo, pela “toalha à cintura”, pelo desprendimento generoso, pelo abraço sincero ao irmão.

Mãe querida, ilumina os insensatos, os imprudentes, os iludidos, os que ainda não conseguem ver para além da riqueza, da economia e da matéria.

Cuida também e gratifica os cuidadores: todos os que dão a cara, a vida, o conhecimento e o esforço a fim de se evitar tragédia maior. Estou a recomendar-te os médicos, os enfermeiros, o pessoal auxiliar, os farmacêuticos, os bombeiros, os prestadores de serviços, os cuidadores de velhinhos, todos, Mãe, todos os bons e generosos. Que eles sintam também a Tua bondade e generosidade.

Permite, Mãe querida, que as crianças voltem aos baloiços, à escola, e a lambuzar com beijos o rosto dos pais, dos manos, dos avós… Permite que os velhinhos passem tranquilos os últimos dias da sua vida. Permite que os diques se rompam e todos possam retornar a suas casas para abraçar e beijar. Permite que todos voltemos à rua, não como ameaça, não com desconfiança, mas como companheiros e irmãos, para continuarmos, unidos e solidários, o caminho da vida. Permite, Mãe, que continuemos a erguer as nossas taças para festejar vitórias, para festejar aniversários, para festejar nascimentos, para festejar o amor, para festejar regressos de gente querida. Permite, Mãe, que voltemos a viajar, a admirar o mundo belo por Deus criado, com sorriso nos lábios e sol nos dias. Permite, Mãe, que voltemos ao trabalho, rentabilizando os nossos dons em favor de Deus e do próximo. Permite, Mãe, que voltemos à vida normal, com ânimo, com júbilo, com vontade de sair de casa e abraçar o mundo.

Mãe, cuida do Brasil; cuida dos Estados Unidos da América; cuida da África; cuida do Equador; cuida da Itália; cuida da Alemanha e da Inglaterra; cuida da França e da Espanha; cuida de Portugal; cuida do mundo inteiro. E acolhe todos quantos se apressaram em partir deste mundo. Confiamos em Ti. Confiamo-nos, todos, a Ti. Afinal – nós sabemos, nós acreditamos: “Tu podes, és Mãe de Deus”. Mas não Te esqueças: Tu também deves. Sim, és nossa Mãe, a nossa querida Mãe, a Senhora do Sameiro!

Pe. Paulo Abreu

Abrir

Semana Santa 2020 com São João da Cruz

«O VERDADEIRO ESPIRITUAL»

Leitura e meditação do Evangelho (Mt 27,11-14.45-50): Paixão do Senhor

As duas pistas para pôr em prática durante a semana

1. Determino um momento na minha semana para viver um tempo de silêncio com Jesus.

2. Até que ponto sou capaz de viver uma verdadeira amizade com o Filho de Deus? Desejo mesmo ser um «bom espiritual»?

ORAR EM CADA DIA DA SEMANA SANTA

Segunda-feira Santa, 6 de Abril: a verdadeira Via do Senhor

«Eis o meu servo que Eu amparo.» (Is 42,1)

«Quem não se sentiria confundido e enganado (…) ao ver que Ele nasceu numa condição humilde, viveu na pobreza e morreu na miséria? E que, durante a sua vida temporal, não só não dominou a terra, mas sujeitou-Se a gente desprezível até morrer?» (São João da Cruz)

Que aspecto de Jesus surge habitualmente na minha oração? A do servo, a do autor de milagres, a do orador agradável…?

Terça-feira Santa, 7 de Abril: procurar Deus escondido

«Filhinhos, já pouco tempo vou estar convosco. Haveis de Me procurar.» (Jo 13,33)

«Ó alma formosíssima entre todas as criaturas, que tanto desejas saber onde está o teu Amado para te encontrares e unires a Ele, já te foi dito que tu mesma és o aposento onde Ele mora, o refúgio e o esconderijo onde Se oculta.» (São João da Cruz)

O rosto glorioso de Jesus vai-se esconder por trás da face desfigurada do Servo sofredor. Procuro a presença de Deus nas pessoas que sofrem e que me estão próximas e também no íntimo do meu ser.

Quarta-feira Santa, 8 de Abril: uma Páscoa interior

«O Mestre manda dizer: O meu tempo está próximo; é em tua casa que quero celebrar a Páscoa com os meus discípulos.» (Mt 26, 18)

«Um pastorzinho, só e amargurado / Alheio de prazer e de contento / Tem na sua pastora o pensamento/ E o peito por amor tão magoado.» (São João da Cruz)

A minha morada interior está preparada e pronta para o Senhor vir celebrar a sua Páscoa em mim?

Quinta-feira Santa, 9 de Abril: A fonte da Eucaristia

«Tomai e comei, este é o meu Corpo.» (Mt 26, 26

«Aquela eterna fonte está escondida / Neste pão vivo para dar-nos vida, / Mesmo sendo noite.» (São João da Cruz)

Diante deste mistério inaudito da Eucaristia, em silêncio, adoro e dou graças pelo insondável amor de um Deus que quer unir-Se a nós a este ponto…

Sexta-feira Santa, 10 de Abril: a morte de Amor

«E, inclinando a cabeça, entregou o Espírito.» (Jo 19, 30)

«E, ao fim de grande tempo, ele há trepado / Uma árvore: abriu os braços belos / E morto lá ficou, suspenso neles / Seu peito por amor tão magoado!» (São João da Cruz)

Acolho demorada e profundamente este amor de Jesus entregue à morte por mim, e dou graças pela salvação do mundo inteiro.

Sábado Santo, 11 de Abril: o silencioso amor de Maria

«Junto à cruz de Jesus estava, de pé, Maria, sua Mãe.» (Jo 19, 25)

«Uma palavra falou o Pai, que foi o seu Filho, e di-la sempre em eterno silêncio, e em silêncio a há-de ouvir a alma.» (São João da Cruz)

Com a Virgem Maria, permaneço vigilante na fé e preparo-me para me deixar invadir pela grande alegria de Deus que ressuscita os mortos.

Abrir