A Regra da Ordem do Carmo

A Regra da Ordem do Carmo é uma fórmula de vida, formula vitae da autoria do Patriarca de Jerusalém Alberto Avogadro, que a redigiu entre os anos de 1206-1214, a pedido de alguns leigos latinos (talvez peregrinos ou ex-cruzados) que se tinham fixado em vida eremítica no Monte Carmelo, junto da “Fonte de Elias”. A Regra está elaborada para eremitas, pelo que, em 1247, depois de os Carmelitas se terem disperso pela Europa, o Papa Inocêncio IV achou necessário introduzir-lhes algumas modificações, mesmo assim poucas, para que os monges pudessem ajustar-se a uma nova missão na Igreja, já não como Ordem Monástica, mas como Ordem Mendicante.

Pinharanda Gomes

Abrir

Decálogo da história e espiritualidade carmelitas

1. Nascemos no final do século XII no Monte Carmelo.

2. Recebemos a Regra ou norma de vida no princípio do século XIII.

3. Jesus Cristo é o “projecto da nossa vida” e “segui-lo é a nossa meta”.

4. Maria, nossa Mãe e Irmã, ensina-nos a “gerar” e a ser “portadores da vida de Deus no mundo”.

5. Elias, “nosso Pai espiritual”, mostra-nos como “viver na presença de Deus” e “ser profetas de justiça e paz entre os pobres”.

6. Os santos carmelitas, “mestres do espírito”, oferecem-nos, com o testemunho das suas vidas e da sua doutrina, “trilhos” que nos conduzem pelo caminho da união com Deus.

7. A contemplação, coração do carisma carmelita, unifica a nossa vida de oração, fraternidade e serviço.

8. O Escapulário, “sinal de amor solícito e da protecção maternal de Maria”, reveste-nos de Cristo e faz-nos membros da Família Carmelita.

9. A Família Carmelita é formada por religiosos, religiosas, monjas e leigos.

10. Este é o nosso lema: “conhecer, amar, imitar e irradiar Jesus e Maria”.

Abrir