Novena de Nossa Senhora do Carmo (2017): 9

9º DIA: MARIA, IRMÃ NA COMUNIDADE CRISTÃ

Reflexão: Jesus subiu ao céu e a primeira comunidade cristão encontra-se reunida a orar. Com ela está também a Virgem Maria, como Mãe e Irmã. Também nas nossas assembleias Maria ora connosco. Actuemos de maneira que a nossa participação no mistério eucarístico seja uma participação alegre e cheia de vida. Connosco está Jesus. Connosco está Maria, sua e nossa Mãe.

Oração: Santa Maria, irmã na comunidade cristã, sê também nossa irmã na nossa vida e na nossa oração. Santa Maria, irmã na comunidade cristã, senta-te junto a nós e reza connosco para que a nossa oração seja segundo o coração do teu Filho. Maria, Estrela do Mar, Mãe e irmã no Carmelo, acolhe-nos sob o teu manto maternal.

Compromisso: Contribuir na animação da celebração eucarística dominical da minha paróquia, para que seja um verdadeiro momento de gozo e de oração fraterna.

Abrir

Resumo da Carta do Prior Geral da Ordem do Carmo

RESUMO DA CARTA DO PRIOR GERAL POR OCASIÃO

SOLENIDADE DE NOSSA SENHORA DO CARMO 2017

Queridos irmãos e irmãs da Família Carmelita:

Aproxima-se a Festa de Nossa Senhora do Carmo e, como acontece todos os anos, quero enviar-vos uma afectuosa saudação e as minhas mais sinceras felicitações.

Desejo, em primeiro lugar, recordar-vos que estamos a comemorar o 1º Centenário das Aparições de Fátima. É bem conhecido que na sexta aparição, acontecida em Outubro de 1917, os pastorinhos referiram que Nossa Senhora apareceu sob a invocação de “Nossa Senhora do Carmo” que era venerada na sua paróquia (ver foto). Em 1924, testemunhando perante o tribunal diocesano, Lúcia insistiu no mesmo e acrescentou que “tinha uma coisa pendurada na sua mão direita” (o Santo Escapulário).

Igualmente, quando em 1950, o Pe. Kilian Lynch, Prior Geral da Ordem, visitou a vidente Lúcia, ela realçou de que se tratava de Nossa Senhora do Carmo. Inclusivamente, noutros encontros com outros carmelitas, Lúcia realçou que estava surpreendida por não se ter destacado mais este aspecto e que não se tivesse feito uma promoção maior da devoção do Escapulário do Carmo, inspirada pelas mesmas aparições.

Seja como for, neste Centenário das Aparições, a Família Carmelita renova de algum modo a sua devoção mariana e agora que se aproxima a Festa de Nossa Senhora do Carmo, também nós lhe pedimos que nos dê uma fé simples e profunda e uma devoção que não caia nos sentimentalismos vazios ou nos afectos passageiros, mas que, bem enraizada nos nossos corações, nos conduza à descoberta diária da Boa Nova do Evangelho e nos anime a anunciá-la com coragem e autenticidade.

O Papa Francisco na visita que fez a Fátima insistiu que os valores do Evangelho transformam e revolucionam a nossa vida e a devoção à Virgem ajuda-nos a descobri-los e a vivê-los em plenitude. A devoção mariana, de facto, se é autêntica, o mínimo que pode fazer é tornar-nos mais humanos: “Cada vez que olhamos para Maria voltamos a acreditar na força revolucionária da ternura e do carinho. Nela vemos que a humildade e a ternura não são virtudes dos fracos mas dos fortes”.

Neste Centenário, recordamos também de uma forma especial todos os enfermos da Família Carmelita. O Papa na visita que fez a Fátima teve para eles palavras muito afectuosas quando disse que os doentes são “um tesouro valioso da Igreja”. Que nesta Festa de Nossa Senhora do Carmo tenhamos muito presente os que padecem a doença e renovemos o nosso empenho em ajudá-los, acompanhá-los e compartilhar com eles o melhor que temos. Que em vez da cultura do descarte e da comodidade egoísta, eles sejam, de verdade, um tesouro nas nossas famílias e nas nossas comunidades carmelitas.

Em segundo lugar, desejo assinalar que este ano estamos a celebrar o 75º aniversário da morte do Beato Tito Brandsma no campo de concentração de Dachau e o 50º aniversário da morte do grande teólogo carmelita Bartolomé F. Mª Xiberta.

Os dois destacaram-se pela sua grande devoção mariana e escreveram de forma prolixa acerca do papel da Virgem Maria na história da salvação. O Pe. Tito insistiu muito que nós, como Maria, somos chamados a ser “theotokos”, portadores de Deus, que levam o Senhor aos ambientes mais necessitados d’Ele. Esta é uma doutrina que se liga muito bem com a insistência missionária do Papa Francisco, que, constantemente, nos recorda a importância de sair de nós mesmos para ir para as periferias geográficas e existenciais.

O Pe. Xiberta soube combinar de forma harmoniosa uma teologia muito elevada, de carácter especulativo, com a terna devoção a Maria. Os que o conheceram de perto recordam como ele contava os dias que faltavam para a celebração da festividade do Carmo. Gostava de repetir a antífona mariana tirada do livro de Judite (cf. Jdt 15,9), “Tu és a glória de Jerusalém, tu és a alegria de Israel, tu és o orgulho da nossa raça”.

Somente um par de exemplos para ilustrar como estes nossos irmãos viveram com profundidade, seriedade doutrinal e piedade a devoção a Maria em pleno século XX.

O Beato Tito celebrou pela última vez a Festa de Nossa Senhora do Carmo no campo de concentração de Dachau em 1942. Apesar da debilidade e da doença, não deixou de felicitar com um sentido aperto de mão os outros carmelitas que se encontravam ali: o holandês, Fr. Rafael, que o acompanhou até ao fim, e vários polacos, entre os quais se encontrava o Beato Hilário Januszewski. Foi uma celebração insólita, mas, certamente, vivida, de forma muito íntima e comovente, naquelas terríveis circunstâncias.

No mesmo dia, vinte e cinco anos mais tarde, morria o Pe. Xiberta em Tarrasa (Espanha). Os últimos anos da sua vida passou-os em total dependência devido a um derrame cerebral. Com muita dificuldade articulava qualquer palavra. Talvez estivesse a tornar real o que ele tinha referido em certa ocasião acerca do seu trabalho como teólogo: “Nós, pobres professores de teologia, temos de raciocinar acerca de altíssimos mistérios, diante dos quais o mais conveniente seria ficar em silenciosa contemplação…”.

Que Maria, a Mãe e formosura do Carmelo, a Estrela do mar, nos guie no nosso caminhar, para que saibamos responder com criatividade e alegria aos desafios que nos são colocados no nosso mundo, às vezes tão complexo.

A todos os que de alguma forma fazem parte da Família Carmelita envio-vos uma afectuosa saudação. E… muitas felicidades!

 Fernando Millán Romeral, O. Carm.

Prior Geral

 

Abrir

Novena de Nossa Senhora do Carmo (2017): 8

8º DIA: MARIA, AO PÉ DA CRUZ

Reflexão: João diz-nos que junto à cruz estavam Maria e João. Maria – a Mãe -, João – o discípulo predilecto – . A Virgem Maria está de pé junto à cruz: dá força ao seu Filho para que chegue a última hora. Esta passagem bíblica – muito grata ao coração de todo o carmelita – ensina-nos que no momento da dor não estamos sozinhos. Maria e Jesus estão connosco. E recorda-nos que o Senhor, morrendo, deu-nos a sua Mãe como bem precioso. Procuremos com a nossa vida ser agradecidos.

Oração: Maria, Mãe ao pé da cruz, fica junto de nós nas nossas cruzes quotidianas para que, como tu, saibamos estar de pé para aceitar e oferecer a nossa dor. Maria, Mãe junto à cruz, abre o nosso coração para que saibamos acolher-te em todo o momento, dom que Jesus nos deu ao morrer.

Compromisso: Aproximar-me de qualquer pessoa que sofre física ou espiritualmente.

Abrir

Novena de Nossa Senhora do Carmo (2017): 7

7º DIA: MARIA, VIRGEM DA ESCUTA

“Enquanto Ele falava, uma mulher, levantando a voz do meio da multidão, disse: «Felizes as entranhas que te trouxeram e os seios que te amamentaram!» Ele, porém, retorquiu: «Felizes, antes, os que escutam a Palavra de Deus e a põem em prática.»”.

Pode parecer que Jesus não dê importância ao papel de Maria, preferindo os seus discípulos. No entanto, se lermos bem o texto, notamos que Jesus elogia a sua Mãe. Ela é a mulher que escuta a Palavra de Deus e a põe em prática em cada momento. É uma discípula atenta, que guarda no seu coração as palavras do Filho e no dia-a-dia põe-nas em prática. Ela indica-nos o caminho para que também nós façamos o mesmo, se queremos ser seus verdadeiros devotos.

Oração: Mãe Formosa, Virgem da escuta, abre o nosso coração para que saibamos escutar as palavras do teu Filho. Mãe Formosa, pura de coração, torna-nos fortes nos nossos propósitos.

Compromisso: Escutar a Palavra de Deus com muita atenção quando é proclamada na igreja. Comprometo-me também a escutar Deus que me fala através das pessoas no decorrer do dia.

Abrir

Novena de Nossa Senhora do Carmo (2017): 6

6º DIA: MARIA, A INFATIGÁVEL BUSCADORA DE DEUS

 

Reflexão: Maria e José estão angustiados pela perda do seu Filho Jesus. Põem-se a caminho para o buscar e encontram-no depois de três dias. Também na nossa vida, Jesus parece que se esconde e nos deixa sós. Que fazemos? Desesperamos? Voltamo-nos para outros bens? Ou pomo-nos a caminho para encontrar Jesus e não perdê-lo jamais? Maria e José ensinam-nos a ser buscadores de Deus, porque fomos feitos para Ele e o nosso coração anda inquieto até que repouse n’Ele (Santo Agostinho).

Oração: Doce Maria, infatigável buscadora de Deus, dá-nos a mesma força que tiveste para buscar o teu Jesus, que se perdera no Templo. Doce Maria, infatigável buscadora de Deus, guia os nossos passos para que no caminho da vida possamos sempre seguir Jesus, farol que ilumina. Doce Maria, pura Mãe, sê tu mesma a nossa companheira no nosso caminhar para Jesus.

Compromisso: Orar mais nos momentos em que me parece que Jesus me abandonou.

Abrir

Novena de Nossa Senhora do Carmo (2017): 5

5º DIA: MARIA, SENHORA DA OFERENDA

Reflexão: Experimentemos ser espectadores deste episódio: Maria, José e Jesus, uma família, que se dirige ao Templo para oferecer o menino ao Senhor. Se quisermos traduzir em termos da nossa cultura é algo como quando a família se prepara para levar o menino ao baptismo. Muito provavelmente aconteceu-nos muitas vezes assistir a esta festa. Procuremos perscrutar o coração da Mãe: ela oferece a Deus com todo o coração o Menino que nasceu dela. Somos capazes de a imitar na nossa vida de cada dia?

Oração: Filha de Sião, Senhora da oferenda, purifica os nossos corações para que pertençam totalmente a Jesus. Filha de Sião, Senhora da oferenda, liberta os nossos corações para que sem medo possam ser totalmente propriedade Sua. Filha de Sião, terna Mãe, faz o nosso coração semelhante ao teu.

Compromisso: Despojar-me de algo a que estou muito ligado para doá-lo a alguém que me é particularmente antipática, com o fim de imitar a Mãe do Senhor que ofereceu o seu Filho com coração puro.

Abrir

Oração a Nossa Senhora

Santa Maria, Mãe de Deus, conservai em mim um coração de criança, puro e límpido como água da fonte. Dai-me um coração simples, que não se incline a saborear as próprias tristezas. Um coração magnânimo no doar-se, dócil à compaixão, um coração fiel e generoso que não esqueça nenhum bem, nem guarde rancor de nenhum mal. Criai em mim um coração doce e humilde, que ame sem exigir ser correspondido, contente em esconder-se noutros corações, sacrificando-se diante do Vosso Divino Filho. Um coração grande e indomável, que nenhuma ingratidão possa fechar e nenhuma indiferença possa cansar. Um coração atormentado pela glória de Cristo, ferido pelo Seu amor, com uma ferida que não possa ser cicatrizada senão no Céu. Amen.

Pe. Léonce de Grandmaison, SJ

Abrir

Novena de Nossa Senhora do Carmo (2017): 4

4º DIA: MARIA, MULHER CONTEMPLATIVA

Reflexão: Que pensariam José e Maria vendo diante de si estes homens misteriosos, os magos, que tinham vindo de longe para ver Jesus? Contudo, o Filho de Deus fez-se Homem para todos, também para estes “estrangeiros”. Maria compreende e também lhes mostra Jesus. Maria é a verdadeira contemplativa, isto é, a que sabe ver a realidade com os olhos de Deus. E nós? Somos contemplativos? Conseguimos ver a realidade como Deus a vê? Somos capazes de dar Jesus aos outros que encontramos, sejam conhecidos ou não, do meu país ou não, ricos ou pobres?

Oração: Santa Maria, mulher contemplativa, ensina-nos a conservar no nosso coração as situações de cada dia para nos empenharmos em vê-las com os olhos de Deus. Santa Maria, mulher contemplativa, ensina-nos a ver naqueles que encontramos o rosto do teu Filho e a não fazer qualquer tipo de discriminação.

Compromisso: Não julgar as pessoas que encontro durante o dia, mas ver em cada uma o rosto do Senhor.

Abrir

Novena de Nossa Senhora do Carmo (2017): 3

3º DIA: MARIA, MÃE QUE NOS VESTE COM O ESCAPULÁRIO

Reflexão: O evangelista Lucas transmite-nos o gesto carinhoso e materno de Maria que envolve em panos o pequenino Jesus. Um gesto que toda a mãe já fez, em sinal de protecção e de cuidado. Também nós somos revestidos com o vestido de Maria, nossa Mãe e Irmã, através do Escapulário. Ela cuida de cada um de nós e protege-nos. Envolve-nos com o seu manto para que cresçamos fortes e robustos na escola de seu Filho.

Oração: Virgem Mãe, que envolveste em panos o teu Filho Jesus, ensina-nos a ser sempre pequenos para que nos deixemos “levar nos braços do bom Deus”. Virgem Mãe, que envolveste em panos o teu Jesus, ajuda-nos a revestir-nos do teu Filho, para que sejamos em cada dia sinal do amor de Deus.

Compromisso: revestir-me do Escapulário para testemunhar também exteriormente o meu amor a Jesus e a Maria. Sobretudo quero que o Escapulário me recorde que devo viver em cada dia na escola de Jesus, a exemplo de Maria.

Abrir

14º Domingo do Tempo Comum – Ano A

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus (Mt 11, 25-30)

Naquele tempo, Jesus exclamou: “Eu Te bendigo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas verdades aos sábios e inteligentes e as revelaste aos pequeninos. Tudo me foi dado por meu Pai. Sim, Pai, Eu Te bendigo, porque assim foi do teu agrado. Ninguém conhece o Filho senão o Pai e ninguém conhece o Pai senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar. Vinde a Mim, todos os que andais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de Mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e a minha carga é leve”.

“Vinde a mim” (Mt 11, 28)

“Vinde a mim todos vós que estais cansados e fatigados, e eu vos darei descanso” (Mt 11,28). Jesus sabe quanto a vida pode ser dura: desilusões e feridas do passado, fardos a carregar e incertezas e preocupações pelo futuro. Diante disto, a primeira palavra de Jesus é um convite a se mexer e a reagir: “Vinde”.

O erro, quando as coisas não vão bem, é permanecer onde se está. Parece evidente, mas quanto é difícil reagir e abrir-se! Jesus, quer tirar-nos das “areias movediças” de ficarmos fechados em nós mesmos, remoendo quanto a vida é injusta, quanto os outros são ingratos e como o mundo é malvado.

O caminho para sair está na relação, em estender a mão e em levantar o olhar para quem realmente nos ama. Todavia, sair de si não basta, é preciso saber para onde ir, porque muitas metas são ilusórias, são “fogos de artifício”. Por isso, Jesus indica onde ir: “Vinde a mim”. É sempre válido buscar um amigo ou um especialista quando estamos com um problema, mas não se deve esquecer Jesus.

Não nos esqueçamos de nos abrir a Ele e de lhe contar a nossa vida, confiar-lhe as pessoas e as situações. Ele nos espera, não para resolver magicamente os nossos problemas, mas para nos fortalecer neles. Jesus não tira os fardos da vida, mas a angústia do coração; não nos tira a cruz, mas carrega-a connosco.

E com Ele, todo o fardo torna-se leve, porque Ele é o descanso que buscamos. Quando Jesus entra na nossa vida, chega a paz, aquela que permanece inclusive nas provações. Vamos até Jesus, vamos encontrá-lo diariamente na oração, num diálogo confiante e pessoal; vamos familiarizar-nos com a sua Palavra, redescobrir sem medo o seu perdão, matar a nossa fome com o seu Pão de vida: sentir-nos-emos amados e consolados por Ele.

Papa Francisco, Resumo do Angelus de 9 de Julho de 2017

Abrir