Viver como filho de Deus

Ser filho de Deus quer dizer: deixar-se conduzir pela mão de Deus; fazer não a própria, mas a vontade de Deus; deixar todos os preocupações e esperanças em Deus; não preocupar-se mais com o porvir. Sobre isto assentam a liberdade e a alegria dos filhos de Deus.

Santa Teresa Benedita da Cruz

Abrir

Caminhar para o Absoluto

Vendo como acabam depressa as coisas deste mundo, temos de nos alegrar, já que isso nos põe cada dia mais perto de chegar àquela meta para a qual devem tender todas as nossas aspirações.

 Santa Teresa Margarida Redi ou (do Coração de Jesus)

Abrir

Solenidade de Santa Teresa de Jesus

Muitas vezes tenho pensado, espantada, na grande bondade de Deus e a minha alma tem-se regalado de ver a Sua grande magnificência e misericórdia. Seja bendito por tudo! Tenho visto claramente Ele não deixar sem paga, até mesmo nesta vida, nenhum desejo bom. Por ruins e imperfeitas que fossem minhas obras, este Senhor meu as ia melhorando e aperfeiçoando e dando valor. Os males e pecados logo os escondia. Até os olhos de quem as viu permite Sua Majestade fiquem como que cegos e lhos tira da memória; doira as culpas; faz resplandecer uma virtude que o mesmo Senhor põe em mim, fazendo-me quase força para que a tenha.

Santa Teresa de Jesus

Abrir

Transformação

Cristo quer consumir a nossa vida, cheia de vícios, para a transformar na sua, cheia de graça e de glória, preparada para nós, desde que renunciemos a nós mesmos.

Santa Isabel da Trindade

Abrir

A Espiritualidade Carmelita

A Regra dos “Irmãos da Bem-Aventurada Virgem Maria do Monte Carmelo” traça as linhas fundamentais da vida carmelita no serviço de Jesus Cristo segundo o espírito da Ordem: meditar dia e noite na lei do Senhor, no silêncio e na solidão, para que a Palavra de Deus abunde no coração e na boca de quem a professa; praticar assiduamente a oração, especialmente com vigílias e salmos; revestir-se das armas espirituais (“armadura de Deus” ) (o cíngulo da castidade, pensamentos santos, a couraça da justiça para se poder amar o Senhor sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo, o escudo da fé, o elmo da salvação para esperar a salvação do único Salvador, a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus, na qual tudo deve ser feito); viver em comunhão fraterna, expressa na celebração diária da Eucaristia, na reunião com os irmãos em forma de capítulo e na comunhão de bens; correcção fraterna e caritativa das faltas; austeridade de vida por meio do trabalho e da mortificação, fundada na fé, na esperança e no amor; conformidade da própria vontade com a vontade de Deus procurada na fé, com o diálogo e com o serviço do Prior aos irmãos.

Próprios da espiritualidade do Carmelo são também o carácter eliano  que os Carmelitas desenvolveram ao viver no Monte Carmelo, lugar dos grandes feitos do grande profeta Elias, e a familiaridade de vida espiritual com Maria, da qual são sinais eloquentes o título de “Irmãos da Bem-Aventurada Virgem Maria “ e a primeira igreja construída no Monte Carmelo e a ela dedicada.

Abrir

A Necessidade do Equilíbrio [Valores da Espiritualidade Carmelita]

No último capítulo da nossa Regra Alberto dá este conselho: “Isto vos escrevemos brevemente para vos dar uma fórmula de vida, segundo a qual deveis viver. Se alguém fizer mais, o próprio Senhor, quando voltar, o recompensará. Fazei, porém, uso do discernimento, que é guia das virtudes”. A este discernimento chamamo-lo actualmente de sentido comum.

Abrir

Em Obséquio de Jesus Cristo [Valores da Espiritualidade Carmelita]

Quando Alberto, Bispo de Jerusalém e Patriarca da Terra Santa, escreveu a “Fórmula de Vida” (Regra) para os primeiros eremitas do Monte Carmelo teve em mente o maior acontecimento da história: o nascimento de Jesus, Deus Encarnado no meio do seu povo. Alberto fez deste acontecimento da fé o valor central da Regra do Carmelo: “Cada um deve viver em obséquio de Jesus Cristo e servi-lo fielmente…”.

Abrir

A Beleza da Criação [Valores da Espiritualidade Carmelita]

O nosso nome deriva do nome de um lugar da Terra Santa: Monte Carmelo. Na nossa tradição olhamos para Maria chamando-a “Beleza do Carmelo”, “Flor do Carmelo”, “Estrela do Mar”, etc. Os símbolos da nossa espiritualidade são frequentemente tomados da natureza: deserto, montanha, fogo, água, chama, flores.

Abrir