Deus não se esconde

O Senhor sempre revelou os tesouros da sua sabedoria e do seu espírito aos mortais; mas, agora que a malícia vai mostrando cada vez mais o seu rosto, muito mais Ele os revela.

 São João da Cruz

Abrir

Vida mística

A mística é um caminho para todos. É um presente de Deus e Deus criou a nossa natureza de modo tal que a possa receber e desenvolver.

 Beato Tito Brandsma

Abrir

Somos acolhidos

Deve esforçar-se por fazer actos de confiança. Porquê temer que Jesus a rejeite? Uma mãe rejeitaria uma filha que, desobedecendo, viesse depois pedir-lhe perdão? Não! Apertá-la-ia contra o seu coração. Porque não pensar que Jesus faz isso connosco, quando Ele encerra em Si, não uma ternura de mãe, mas uma ternura que não conhece limites, porque é infinita?

 Santa Teresa dos Andes

Abrir

Maternidade

A maternidade de Maria é o protótipo de toda a maternidade. Como ela, toda a mãe humana deveria ser mãe com toda a alma, para comunicar à alma do seu filho toda a riqueza da própria alma.

 Santa Teresa Benedita da Cruz

Abrir

Oração e vontade de Deus

Toda a pretensão de quem começa a ter oração – e não vos esqueça isto, pois importa muito – há-de ser trabalhar e determinar-se e dispor-se, com quanta diligência possa, a fazer conformar a sua vontade com a de Deus. (…) nisto consiste a maior perfeição que se pode alcançar no caminho espiritual. Quem mais perfeitamente tiver isto, mais receberá do Senhor e mais adiante estará neste caminho.

 Santa Teresa de Jesus

Abrir

Oração pelas vocações Carmelitas

Ó Maria, Mãe do Sumo e Eterno Sacerdote e Mãe dos Carmelitas, para vossa glória e veneração, Deus fez nascer no seio da Igreja a Ordem do Carmo. Nós vos rogamos, olhai com ternura a Ordem que vos é consagrada, e alcançai de Jesus, vosso Filho, muitas e santas vocações para o Carmelo. Dai a esta vossa Família, Sacerdotes, Religiosos, Religiosas e Leigos empenhados, que propaguem pelo mundo a Boa Nova de Cristo e a devoção a vós, Padroeira dos Carmelitas.

Abrir

Tornar-se apóstolo

Se quereis aumentar em vós o zelo pela salvação das almas, considerai o amor que Deus lhes tem, o que Jesus padeceu por elas e que estas almas são sua propriedade.

 Santa Maria Madalena de Pazzi

Abrir

O Escapulário, dádiva de Maria

O escapulário é uma veste priveligiada com que Maria graciosamente nos distinguiu. (…) E de facto o escapulário é a veste da Santíssima Virgem: Ela a trouxe do céu. O escapulário não é uma devota invenção duma alma piedosa. A Virgem é que é a autora do escapulário, considerado como símbolo de inúmeras misericórdias e de indizíveis graças. (…) O coração vê qualquer coisa de transcendente nos objectos da pessoa amada: vê o próprio coração do amado, e daqui o seu carinho e veneração por esses objectos. Oh! Se o nosso coração não está frio como pedra, verá no escapulário algo mais que um pedaço de pano ou que a simples recordação duma Mãe: verá nele como que um pedaço do próprio coração de Maria que o ama, os olhares da Virgem que o confortam, a mão de Nossa Senhora que o guia e sustém. As almas de fé ardente sabem ver assim! A alma tentada que, como o Profeta David, se vê envolta em trevas, fixa seus olhos no escapulário e, estreitando-o contra o peito,  diz a Maria: «Não me abandoneis, Mãe carinhosa!» O coração que sente o peso da tribulação e a amargura do infortúnio, olha o escapulário e exclama: «Salvai-me, ajudai-me, Mãe do bom conselho!» O pobre agonizante que se vê só na presença da morte, toma em suas mãos o santo escapulário, beija-o, humedece-o com suas lágrimas e… morre tranquilo no ósculo do Senhor e no regaço carinhoso de sua Mãe, a Virgem do Carmo.

 Higino de Santa Tereza, O.C.D.

Abrir