Eis-me aqui, Senhor

Para orar basta-te um gesto de amor muito simples e singelo: é querer o que Deus quer e não querer o que Ele não quer. É abrir-Lhe o coração e ofereceres-te para que disponha de ti.

Beato Francisco Palau

Abrir

A oração é um repouso

Na realidade, a oração é um descanso, um repouso. É aproximar-se com toda a simplicidade daquele que se ama. É permanecer junto a ele como um filhinho nos braços de sua mãe, num abandono do coração.

Santa Isabel da Trindade

Abrir

Quando Te vejo

QUANDO TE VEJO, Ó JESUS

Quando te vejo, ó Jesus,

compreendo que Tu me amas,

como o mais querido dos amigos,

e sinto que Te amo como o meu Bem Supremo.

O Teu amor, eu sei,

exige sofrimento e coragem,

mas o sofrimento é o único caminho

para a Tua glória.

Se novos sofrimentos se ajuntam ao meu coração,

eu os considero como um doce dom,

porque me fazem mais semelhante a Ti,

porque me unem a Ti!

Deixa-me sozinho neste frio,

não preciso de mais ninguém.

A solidão não me mete medo,

pois Tu estás perto de mim.

Fica Jesus, não me deixes!

A tua divina presença

torna fáceis e belas todas as coisas.

Beato Tito Brandsma

Abrir

No novo ano – Educar para a Paz

(…) A paz, porém, não é apenas dom a ser recebido, mas obra a ser construída. Para sermos verdadeiramente artífices de paz, devemos educar-nos para a compaixão, a solidariedade, a colaboração, a fraternidade, ser activos dentro da comunidade e solícitos em despertar as consciências para as questões nacionais e internacionais e para a importância de procurar adequadas modalidades de redistribuição da riqueza, de promoção do crescimento, de cooperação para o desenvolvimento e de resolução dos conflitos. « Felizes os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus » – diz Jesus no sermão da montanha (Mt 5, 9).

Bento XVI, Mensagem para o Dia Mundial da Paz, 2012

Abrir

Com licença, deixem-me entrar

Com licença, amigos! Será que posso entrar? Eu sou a Criança de que tantos falam neste tempo, o Menino Jesus… a criança indefesa e frágil que já pediu a colhimento e protecção no seio de Maria, Nossa Senhora.

Hoje apresento-me de novo a vós, sempre da mesma forma, sempre como criança, para que ninguém tenha medo de mim, para que ninguém me confunda com um ladrão ou um cobrador de impostos.

Para dizer a verdade, eu nem saberia de que outra forma mais amigável me poderia apresentar. Até porque sei que vós adorais as crianças! “Elas são a nossa maior riqueza”, dizeis!

No entanto lembro-me de uma noite em que me fechastes a porta, não me quisestes receber, não tínheis lugar para mim nas vossas casas! Não é possível dizer-vos como fiquei triste! Mas isso já foi há muito tempo!

Hoje certamente isso não vai acontecer. Hoje as pessoas são mais civilizadas, não abandonam as crianças… Hoje certamente não precisarei de uma gruta para nascer!

Então, amigos, com licença, vou entrar! Vou nascer nas vossas casas, iluminar os vossos lares, partilhar o meu amor com todos!

Mas se vos parecer que estou a perturbar, não há problemas, vou-me embora. Hoje também haverá alguma gruta ou uma barraca pobre onde possa nascer! E não vai faltar ocasião para a gente se encontrar de novo. Não vos preocupeis, eu voltarei, eu volto sempre!

Acho que vale a pena voltar. Acho que não podemos desistir de amar, desistir de levar a paz às famílias, um abraço amigo aos desanimados, um gesto de perdão ao pecador! Eu volto sempre, mesmo correndo o risco de ser uma vez mais rejeitado, abandonado, crucificado.

Sim, meus amigos, mesmo arriscando a vida, eu voltarei. Vós sabeis que só quem não ama não volta mais…

Uma coisa, porém, tem de ficar bem clara: se não me convidardes, eu nunca entrarei em vossas casas. Não quero arrombar portas, prefiro que elas se abram por dentro.

E onde encontraria eu a força para arrombar as vossas portas?

Sou apenas uma Criança…

Com licença, amigos, deixem-me entrar!

Pe. Virgílio, Ssp.

 

“Caminhos Carmelitas” envia a todos os seus Amigos e Familiares os melhores votos de um Santo e Feliz Natal vivido na Paz de Deus.

Abrir

A porta é a oração

O verdadeiro amante em toda a parte ama e sempre se lembra do amado. Triste coisa seria que só pelos cantos do mosteiro se pudesse fazer oração.

A nossa alma é como um castelo, todo de diamante ou límpido cristal… No centro está Deus. A porta para entrar é a oração. Se nos lembrássemos que temos dentro de nós tal Hóspede, não o deixaríamos tantas vezes a sós.

Santa Teresa de Jesus

Abrir