Muito bem, servo bom e fiel, entra na alegria do teu senhor (Mt 25, 19)

A notícia do falecimento de Jesué Pinharanda Gomes ocorrido em 27 de Julho tem sido muito divulgada e até o Presidente da República Portuguesa, Professor Marcelo Rebelo de Sousa, referiu-se ao acontecimento através da publicação de uma nota. A grandeza intelectual e a obra deste homem têm sido postas em destaque. “Autodidata de formação, sem ter pisado o chão de uma universidade, empregado de comércio ao longo de mais de 40 anos para provir ao sustento próprio e da mulher, fez da Biblioteca Nacional o seu laboratório de pesquisa e ali construiu uma obra historiográfica e filosófica imensa”, lembrou o Reitor da Universidade da Beira Interior, Dr. António Carreto Fidalgo, por ocasião da cerimónia do Doutoramento Honoris Causa atribuído por aquela instituição académica ao Sr. Jesué Pinharanda Gomes no dia 20 de Março de 2018.

O que se pretende com esta nota agora publicada em “Caminhos Carmelitas” não é apresentar a sua biografia e/ou bibliografia ou outro assunto de índole cultural, mas sobretudo expressar o agradecimento a Deus pelo dom da pessoa do Sr. Pinharanda Gomes e tudo o que recebemos dele: “Nas muitas horas passadas na Biblioteca Nacional, embrenhado no estudo das mais diversas matérias culturais, Pinharanda Gomes construiu as bases para uma extensa obra com mais de 300 títulos”. É nosso propósito também pôr em destaque a sua pertença à Família Carmelita e o muito que trabalhou apaixonadamente por ela.

Ouso afirmar que o seu falecimento no sábado do dia 27 de Julho é um sinal confirmativo do amor de Nossa Senhora do Carmo por este seu ilustre filho, e a confirmação da verdade da mensagem do escapulário. Esta é a minha convicção embora admita que possa ser considerada por outros como exagerada e atrevida. Por Maria até Jesus. Nossa Senhora acolheu-o no sábado (dia semanal especialmente dedicado à Virgem Maria) para o entregar a Jesus para celebrar no dia seguinte o “Domingo sem ocaso” na Casa do Pai, meta da sua caminhada de oitenta anos aqui na terra, iniciada em 16 de Julho de 1939. 16 de Julho!… Dia de Nossa Senhora do Carmo!… “Mulher, eis o teu filho” (Jo 19, 26).

Obrigado, Sr. Pinharanda Gomes, obrigado, Srª Judite, sua esposa, sem a qual o nosso confrade da Confraria de Nossa Senhora do Carmo de Santo António dos Cavaleiros não teria realizado uma “imensa actividade de pesquisa, reflexão e escrita que o espírito universitário irá manter no seu exercício“ passando “da história local à regional, da biografia às instituições e movimentos, dos autores às correntes de pensamento da literatura” em que “tudo soa muito e bem, especialmente nas fontes que descobriu e fez descobrir, nos mundos que abriu e nos fez olhar” (D. Manuel Clemente, Patriarca de Lisboa).

Como referiu o Reitor da Universidade da Beira Interior “homenageamo-lo também pela sua grandeza espiritual”. Que o nosso confrade a partir da “Casa do Pai” nos ajude a encontrar os caminhos que conduzem ao “Dia sem ocaso” e nos alcance a sabedoria e a fortaleza do alto para os percorrer até chegarmos à meta.

Muito bem, servo bom e fiel… entra na alegria do teu senhor” (Mt 25, 19). 

Fr. Manuel Castro, O. Carm.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *