Via Sacra: 1ª-7ª Estações

VIA SACRA

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Amen.

A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo esteja connosco.

Bendito seja Deus que nos reuniu no Amor de Cristo.

HINO

O estandarte da Cruz proclama ao mundo / A morte de Jesus e a sua glória, / Porque o autor de todo o universo / Contemplamos suspenso do madeiro.

Com um golpe de lança trespassado, / Ficou aberto o Coração de Cristo, / Manando sangue e água como rio, / Para lavar os crimes deste mundo.

Ó árvore fecunda e refulgente, / Ornada com a túnica real, / Sois tálamo, sois trono e sois altar, / Para o corpo chagado e glorioso.

Ó Cruz bendita, só tu nos abriste / Os braços de Jesus, o Redentor, / Balança de resgate que arrancaste / Nossas almas das mãos do inimigo.

Cruz do Senhor, és única esperança, / No tempo da tristeza e da Paixão. / Aumenta nos cristãos a luz da fé, / Sê para os homens o sinal da paz.

1ª – ESTAÇÃO – Jesus é condenado à morte

Nós Vos adoramos e bendizemos, Senhor Jesus Cristo.

Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

Do Evangelho segundo São Marcos (14, 64-65)- E todos sentenciavam que Ele era réu de morte. Depois, alguns começaram a cuspir-Lhe, a cobrir-Lhe o rosto com um véu e, batendo-Lhe, a dizer: «Profetiza!» E os guardas davam-Lhe bofetadas.

Momento de meditação silenciosa.

Oração: Senhor Jesus, que viestes visitar-nos, passando entre nós a fazer o bem, trazendo de volta à vida aqueles que habitam na sombra da morte, Vós conheceis os nossos corações tortuosos. Afirmamos ser amigos do bem e de querer a vida, mas somos pecadores e cúmplices da morte. Proclamamo-nos vossos discípulos, mas tomamos estradas que se perdem longe dos vossos pensamentos, longe da vossa justiça e da vossa misericórdia. Não nos abandoneis às nossas violências. Que não se esgote a vossa paciência para connosco. Livrai-nos do mal!

Pai Nosso, Ave Maria e Glória.

Santa Maria, imprimi no meu peito as chagas de Jesus crucificado e as dores do vosso maternal Coração.

2ª – ESTAÇÃO – Jesus é renegado por Pedro

Nós Vos adoramos e bendizemos, Senhor Jesus Cristo.

Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

Do Evangelho segundo São Lucas (22, 59-62) – Cerca de uma hora mais tarde, um outro afirmou com insistência: «Com certeza este estava com Ele; além disso, é galileu». Pedro respondeu: «Homem, não sei o que dizes». E, no mesmo instante, estando ele ainda a falar, cantou um galo. Voltando-Se, o Senhor fixou os olhos em Pedro; e Pedro recordou-se da palavra do Senhor, quando lhe disse: «Hoje, antes de o galo cantar, irás negar-Me três vezes». E, vindo para fora, chorou amargamente.

Momento de meditação silenciosa.

Oração: Senhor, nosso Deus, quisestes que fosse Pedro, o discípulo renegado e perdoado, a receber o encargo de guiar o vosso rebanho. Imprimi nos nossos corações a confiança e a alegria de saber que, em Vós, podemos atravessar os precipícios do medo e da infidelidade.

Fazei que, instruídos por Pedro, todos os vossos discípulos sejam as testemunhas do olhar que Vós pousais sobre as nossas quedas. Que jamais as nossas durezas ou os nossos desesperos tornem vã a Ressurreição do vosso Filho!

Pai Nosso, Ave Maria e Glória.

Santa Maria, imprimi no meu peito as chagas de Jesus crucificado e as dores do vosso maternal Coração.

3ª – ESTAÇÃO – Jesus e Pilatos

Nós Vos adoramos e bendizemos, Senhor Jesus Cristo.

Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

Do Evangelho segundo São Marcos (15, 1.3.15) – Logo de manhã, os sumos sacerdotes reuniram-se em conselho com os anciãos e os doutores da Lei e todo o Sinédrio; e, tendo manietado Jesus, levaram-no e entregaram-no a Pilatos. (…) os sumos sacerdotes acusavam-no de muitas coisas. (…) Pilatos, desejando agradar à multidão, soltou-lhes Barrabás; e, depois de mandar flagelar Jesus, entregou-O para ser crucificado.

Momento de meditação silenciosa.

Oração: Senhor, nosso Deus, diante de Jesus entregue e condenado, nada mais sabemos fazer que desculpar-nos e acusar os outros. Durante muito tempo nós, cristãos, atribuímos a Israel, vosso povo, o peso da vossa condenação à morte. Durante muito tempo, ignoramos que devíamos reconhecer-nos todos cúmplices no pecado, para sermos todos salvos pelo sangue de Jesus crucificado. Concedei-nos a graça de reconhecer, no vosso Filho, o Inocente, o único em toda a história.

Pai Nosso, Ave Maria e Glória.

Santa Maria, imprimi no meu peito as chagas de Jesus crucificado e as dores do vosso maternal Coração.

4ª – ESTAÇÃO – Jesus, rei da glória

Nós Vos adoramos e bendizemos, Senhor Jesus Cristo.

Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

Do Evangelho segundo São Marcos (15, 16-18) – Os soldados levaram-no para dentro do pátio, isto é, para o pretório, e convocaram toda a corte. Revestiram-no de um manto de púrpura e puseram-Lhe uma coroa de espinhos, que tinham entretecido. Depois começaram a saudá-lo: «Salve! Ó Rei dos judeus!».

Momento de meditação silenciosa.

Oração: Senhor, nosso Deus, nós Vos pedimos, derrubai os ídolos existentes em nós e no nosso mundo. Vós conheceis o seu poder sobre as nossas mentes e os nossos corações. Derrubai em nós as imagens que sempre reaparecem de um Deus à medida dos nossos pensamentos, um Deus distante. Fazei que entremos na alegria eterna, que nos faz aclamar, em Jesus vestido de púrpura e coroado de espinhos, o rei da glória.

Pai Nosso, Ave Maria e Glória.

Santa Maria, imprimi no meu peito as chagas de Jesus crucificado e as dores do vosso maternal Coração.

5ª – ESTAÇÃO – Jesus carrega a cruz

Nós Vos adoramos e bendizemos, Senhor Jesus Cristo.

Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

Do Livro das Lamentações (1, 12) – Ó vós todos que passais pelo caminho, olhai e vede se existe dor igual à dor que me atormenta, pois o Senhor feriu-me no dia da sua ardente cólera.

Momento de meditação silenciosa.

Oração: Senhor, nosso Deus, Vós desceis nas profundezas da nossa noite, sem pôr limites à vossa humilhação, porque é nela que alcançais a terra, frequentemente ingrata, por vezes devastada, das nossas vidas.

Nós Vos suplicamos, concedei vossa Igreja a graça de levar, a todos aqueles que caem, a boa-nova do Evangelho: não há queda que possa subtrair-se à vossa misericórdia; não há perda, nem abismo de tal forma profundo onde Vós não possais reencontrar quem se extraviou.

Pai Nosso, Ave Maria e Glória.

Santa Maria, imprimi no meu peito as chagas de Jesus crucificado e as dores do vosso maternal Coração.

6ª – ESTAÇÃO – Jesus e Simão de Cireneu

Nós Vos adoramos e bendizemos, Senhor Jesus Cristo.

Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

Do Evangelho segundo São Lucas (23, 26) – Quando O iam conduzindo, lançaram mão de um certo Simão de Cireneu, que voltava do campo, e carregaram-no com a cruz atrás de Jesus.

Momento de meditação silenciosa.

Oração: Senhor, nosso Deus, revelastes-nos que, em cada pobre que está nu, preso, sedento, sois Vós que nos apareceis, e sois Vós que nós acolhemos, visitamos, vestimos, dessedentamos: «Era peregrino e recolhestes-Me, estava nu e destes-Me que vestir, adoeci e visitastes-Me, estive na prisão e fostes ter comigo» (Mt 25, 35-36).

Nós Vos apresentamos, como uma oferta santa, todos os gestos de bondade, hospitalidade e dedicação que dia a dia são feitos neste mundo. Dignai-Vos reconhecê-los como a verdade da nossa humanidade, que fala mais alto que todos os gestos de rejeição e de ódio. Dignai-Vos abençoar os homens e as mulheres de compaixão que Vos dão glória, mesmo que não saibam ainda pronunciar o vosso nome.

Pai Nosso, Ave Maria e Glória.

Santa Maria, imprimi no meu peito as chagas de Jesus crucificado e as dores do vosso maternal Coração.

7ª ESTAÇÃO – Jesus e as filhas de Jerusalém

Nós Vos adoramos e bendizemos, Senhor Jesus Cristo.

Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

Do Evangelho segundo São Lucas (23, 27-28.31) – Seguiam Jesus uma grande multidão de povo e umas mulheres que batiam no peito e se lamentavam por Ele. Jesus voltou-Se para elas e disse-lhes: «Filhas de Jerusalém, não choreis por Mim, chorai antes por vós mesmas e pelos vossos filhos. (…) Porque, se tratam assim a árvore verde, o que não acontecerá à seca?».

Momento de meditação silenciosa.

Oração: Senhor, nosso Deus, Deus de ternura e de compaixão, Deus cheio de amor e fidelidade, ensinai-nos, nos nossos dias felizes, a não desprezar as lágrimas dos pobres que clamam por Vós e que nos pedem ajuda. Ensinai-nos a não passar indiferentes junto deles. Ensinai-nos a ter a coragem de chorar com eles. Ensinai-nos também, na noite dos nossos sofrimentos, das nossas solidões e das nossas decepções, a ouvir a palavra de graça que Vós nos revelastes na montanha: «Felizes os que choram, porque serão consolados» (Mt 5, 4).

Pai Nosso, Ave Maria e Glória.

Santa Maria, imprimi no meu peito as chagas de Jesus crucificado e as dores do vosso maternal Coração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *