Caminhada quaresmal com Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) – 3

REZAR CADA DIA DA SEMANA COM SANTA TERESA BENEDITA DA CRUZ: 18-23 DE MARÇO

Segunda – feira, 18 de Março: a pepita de ouro que está dentro de mim

«Sede misericordiosos como o vosso Pai é misericordioso» (Lc 6,36).

«Só Deus vê o interior do coração. Ele vê o que bate como um sino mas ele vê também a mais pequena pepita de ouro que escapa muitas vezes à nossa vista e que não está nunca totalmente ausente. Acredita nesta pepita em cada ser humano…» (Edith Stein).

Ser capaz de misericórdia, acreditar que há uma pepita de ouro em cada um, inclusive em mim… Posso encontrá-la e dar nome a essa pepita?

Terça – feira 19 de Março: confiar-se a São José

«É, pois, através da Fé que nos tornamos herdeiros; assim, é um dom gratuito, e a promessa é válida para todos os descendentes de Abraão…».

«Tu, o patriarca da fé tal como Abraão, forte na tua simplicidade de criança, autor de prodígios, pela força da tua obediência e a pureza do teu coração, escudo do Santo Templo da Nova Aliança, sê o seu protector e vela sobre nós, ó São José!» (Edith Stein).

A meio da Quaresma, a Igreja coloca diante dos nossos olhos a figura de José. Ele soube deixar tudo para obedecer à Palavra de Deus. A sua fé é para nós um modelo. Senhor, aumenta a nossa fé!

Quarta – feira, 20 de Março: estar no seu lugar

«Vós não sabeis o que pedis. Podereis beber no cálice que Eu vou beber?» (Mt 20,22).

«Estou convencida que me encontro no lugar que me era destinado, estou reconhecida de ter sido conduzida por este caminho e vou fazendo alegremente a doação de mim mesma, sem nenhum traço de «resignação» (Edith Stein).

Muitas vezes, rezo para obter qualquer coisa que acho que é bom para mim, para mudar o mundo. Mas engano-me muitas vezes. Jesus interpela-nos com vigor: a oração, é pedir mas também é abrir-se à vontade do Pai.

Quinta – feira, 21 de Março: a medida do amor

«Eles têm Moisés e os profetas: que os escutem!» (Lc 16,29).

«O nosso amor para com o próximo é a medida do nosso amor por Deus» (Edith Stein).

Ir ter com uma pessoa na necessidade, qualquer que seja a sua necessidade. Fá-lo-ia hoje? Se eu não permito que o outro me incomode, é provável que não deixe Deus incomodar-me…

Sexta – feira, 22 de Março: acolher a saudação de Jesus

«Eles respeitarão o meu filho» (Mt 21, 37).

«Cristo é Poder e Sabedoria de Deus, não apenas como enviado de Deus, Filho de Deus e o próprio Deus, mas como crucificado. Pois a morte sobre a cruz é o meio de redenção que inventou a sabedoria insondável de Deus» (Edith Stein).

Deus não é ingénuo: nós não respeitamos o seu Filho, Ele foi torturado na Cruz. Estarei eu consciente de ser beneficiário da morte por amor, de Jesus, assumida pelo Pai?

Sábado, 23 de Março: alegar-me com a obra de Deus

«Depressa, trazei a mais bela vestimenta para o vestir… vamos comer e festejar pois o meu filho estava morto e regressou à vida» (Lc 15,22.24).

«A poderosa redenção: é a força de despertar para a vida daqueles em quem a vida divina se tinha apagado pelo pecado» (Edith Stein).

Deus mostra o seu poder quando nos reveste da sua misericórdia. Ele quer dar-nos tudo o que lhe pertence, e sobretudo este poder do amor que dá vida aos outros. Saberei eu festejar e alegrar-me com os outros pela obra de Deus?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *