O Presépio conserva em si uma força evangelizadora

Em muitas famílias, segundo uma bela e consolidada tradição, imediatamente depois da festa da Imaculada, começa-se a preparar o Presépio, como que para reviver juntamente com Maria aqueles dias repletos de trepidação, que precederam o nascimento de Jesus. Preparar um Presépio em casa pode revelar-se um modo simples, mas eficaz, de apresentar a fé para a transmitir aos próprios filhos. O Presépio ajuda-nos a contemplar o mistério do amor de Deus, que se revelou na pobreza e na simplicidade da gruta de Belém. São Francisco de Assis foi de tal maneira tomado pelo mistério da Encarnação, que desejou repropô-lo em Greccio, no Presépio vivo, tornando-se deste modo iniciador de uma longa tradição popular, que ainda hoje conserva o seu valor para a evangelização. Com efeito, o Presépio pode ajudar-nos a compreender o segredo do verdadeiro Natal, porque fala da humildade e da bondade misericordiosa de Cristo que, “embora fosse rico, se tornou pobre” (2 Cor 8, 9) por nós. A sua pobreza enriquece quem a abraça e o Natal traz alegria e paz àqueles que, como os pastores em Belém, acolhem as palavras do Anjo: “Isto vos servirá de sinal: encontrareis um recém-nascido, envolto em faixas e deitado numa manjedoura” (Lc 2, 12).

Bento XVI

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *