2º Domingo do Advento – Ano C

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 3, 1-6)

No décimo quinto ano do reinado do imperador Tibério, quando Pôncio Pilatos era governador da Judeia, Herodes tetrarca da Galileia, seu irmão Filipe tetrarca da região da Itureia e Traconítide e Lisânias tetrarca de Abilene, no pontificado de Anás e Caifás, foi dirigida a palavra de Deus a João, filho de Zacarias, no deserto. E ele percorreu toda a zona do rio Jordão, pregando um baptismo de penitência para a remissão dos pecados, como está escrito no livro dos oráculos do profeta Isaías: «Uma voz clama no deserto: ‘Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas. Sejam alteados todos os vales e abatidos os montes e as colinas; endireitem-se os caminhos tortuosos e aplanem-se as veredas escarpadas; e toda a criatura verá a salvação de Deus’».

Reflexão

O texto do Evangelho do 2º Domingo do Advento apresenta-nos o profeta João Baptista que aparece no deserto para preparar os caminhos do Senhor. As pessoas, desde há muitos séculos, viviam na espera da vinda do Messias. O aparecimento de João no deserto era sinal de que Deus estava a visitar de novo o seu povo. A redenção estava próxima! Lucas tem o cuidado de colocar o aparecimento de João no contexto político, social e religioso da época. Ao fazer o elenco dos nomes grandes do mundo de então, não é pretensão do narrador fazer história. Antes quer dizer-nos que a Palavra de Deus passa ao lado dos senhores deste mundo, que decidem e planificam tudo, e vai cair sobre um pobre, João Baptista.

João Baptista aparece como profeta no deserto. Lucas fala da grande expectativa que se criou entre as pessoas em volta da pregação de João Baptista, que anunciava um baptismo de conversão para o perdão dos pecados. Também hoje existe uma grande expectativa de conversão e reconciliação com Deus que se manifesta de muitas maneiras. O Advento é um tempo apropriado para renovar este desejo de mudança em nós, de conversão e de aproximação de Deus.

Lucas põe na boca de João um trecho de Isaías: “Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas. Sejam alteados todos os vales e abatidos os montes e as colinas; endireitem-se os caminhos tortuosos e aplanem-se as veredas escarpadas; e toda a criatura verá a salvação de Deus”. Podemos entender este trecho num sentido metafórico, como descrição de uma mudança radical no estilo de vida como consequência de uma resposta ao seguimento mais comprometido de Jesus. Quem aceita a sua mensagem terá que mudar radicalmente (isto é, na raiz!) a sua vida.

“Na sociedade consumista, na qual somos tentados a procurar a alegria nas coisas, João Baptista ensina-nos a viver de maneira essencial, a fim de que o Natal seja vivido não só como uma festa exterior, mas como a festa do Filho de Deus que veio trazer aos homens a paz, a vida e a alegria verdadeira” (Bento XVI).

Palavra para o caminho

«A fé consiste em saber-se amado e responder ao amor com amor» (Olivier Clement). Sem dúvida, é o essencial para abrir em nossas vidas o caminho a Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *