“Effatà”, “Abre-te”

Foi propriamente o coração, ou seja, o núcleo profundo da pessoa, que Jesus veio “abrir”, libertar, para nos tornar capazes de viver plenamente a relação com Deus e com os outros. Ele fez-se homem para que o homem, tendo-se tornado pelo pecado surdo e mudo, possa ouvir a voz de Deus, a voz do Amor que fala ao seu coração, e assim aprenda a falar, por sua vez, a linguagem do amor, traduzindo-o em gestos de generosidade e de doação de si próprio.

Papa Francisco, Angelus, 9 de Setembro, 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *