Na Assunção de Maria, Deus mostra que quer salvar o homem inteiro, alma e corpo

A Assunção ao céu, em corpo e alma, é um privilégio divino concedido à Mãe de Deus pela sua particular união com Jesus. Trata-se de uma união corporal e espiritual, iniciada com a Anunciação e amadurecida durante toda a vida de Maria mediante a sua participação singular no mistério do seu Filho.

A existência de Nossa Senhora decorreu como a de uma mulher comum do seu tempo: rezava, ocupava-se da família e da casa, ia à sinagoga… Mas toda a actividade que diariamente fazia era realizada em união total com Jesus. No Calvário, esta união alcançou o ponto mais alto, no amor, na compaixão e no sofrimento do coração. Por isso Deus concedeu-lhe também uma participação plena na ressurreição de Jesus. O corpo da Mãe foi preservado da corrupção, como o corpo do Filho. A Igreja convida-nos a contemplar este mistério: ele mostra que Deus quer salvar o homem inteiro, alma e corpo.

A Assunção de Maria, criatura humana, dá-nos a confirmação do nosso destino glorioso. A ressurreição da carne é um elemento próprio da revelação cristã, eixo da nossa fé. A realidade maravilhosa da Assunção de Maria manifesta e confirma a unidade da pessoa humana e recorda-nos que somos chamados a servir e a glorificar Deus com todo o nosso ser, alma e corpo. O nosso destino, no dia da ressurreição, será semelhante ao da nossa Mãe celeste.

Papa Francisco, Angelus (resumo), 15 de Agosto de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *