Tempo da criação – 21 – 27 de Setembro

DIA 21. “A consciência da gravidade da crise cultural e ecológica precisa de traduzir-se em novos hábitos. Muitos estão cientes de que não basta o progresso actual e a mera acumulação de objectos ou prazeres para dar sentido e alegria ao coração humano, mas não se sentem capazes de renunciar àquilo que o mercado lhes oferece. Nos países que deveriam realizar as maiores mudanças nos hábitos de consumo, os jovens têm uma nova sensibilidade ecológica e um espírito generoso, e alguns deles lutam admiravelmente pela defesa do meio ambiente, mas cresceram num contexto de altíssimo consumo e bem-estar que torna difícil a maturação de outros hábitos. Por isso, estamos perante um desafio educativo” (nº 209).

Breve momento de reflexão e interiorização.

Oração

Deus omnipotente, obrigado porque estás connosco todos os dias. Nós Te pedimos: sustenta-nos na nossa luta pela justiça, o amor e a paz. Amen.

DIA 22. “Se «os desertos exteriores se multiplicam no mundo, porque os desertos interiores se tornaram tão amplos», a crise ecológica é um apelo a uma profunda conversão interior. Entretanto temos de reconhecer também que alguns cristãos, até comprometidos e piedosos, com o pretexto do realismo pragmático frequentemente se burlam das preocupações pelo meio ambiente. Outros são passivos, não se decidem a mudar os seus hábitos e tornam-se incoerentes. Falta-lhes, pois, uma conversão ecológica, que comporta deixar emergir, nas relações com o mundo que os rodeia, todas as consequências do encontro com Jesus. Viver a vocação de guardiões da obra de Deus não é algo de opcional nem um aspecto secundário da experiência cristã, mas parte essencial duma existência virtuosa” (nº 217).

Breve momento de reflexão e interiorização.

Oração

Deus dos pobres, cura a nossa vida, para protegermos o mundo e não o depredarmos, para semearmos beleza e não poluição nem destruição. Amen.

DIA 23. “Para se resolver uma situação tão complexa como a que o mundo actual enfrenta, não basta que cada um seja melhor. Os indivíduos isolados podem perder a capacidade e a liberdade de vencer a lógica da razão instrumental e acabam por sucumbir a um consumismo sem ética nem sentido social e ambiental. Aos problemas sociais responde-se, não com a mera soma de bens individuais, mas com redes comunitárias […]. A conversão ecológica, que se requer para criar um dinamismo de mudança duradoura, é também uma conversão comunitária” (nº 219).

Breve momento de reflexão e interiorização.

Oração

Ó Deus dos pobres, ajuda-nos a reconhecer que estamos profundamente unidos com todas as criaturas no nosso caminho para a vossa luz infinita. Amen.

DIA 24. “A espiritualidade cristã propõe uma forma alternativa de entender a qualidade de vida, encorajando um estilo de vida profético e contemplativo, capaz de gerar profunda alegria sem estar obcecado pelo consumo. […] Trata-se da convicção de que «quanto menos, tanto mais». […] A espiritualidade cristã propõe um crescimento na sobriedade e uma capacidade de se alegrar com pouco. É um regresso à simplicidade que nos permite parar a saborear as pequenas coisas, agradecer as possibilidades que a vida oferece sem nos apegarmos ao que temos nem nos entristecermos por aquilo que não possuímos. Isto exige evitar a dinâmica do domínio e da mera acumulação de prazeres” (nº 222).

Breve momento de reflexão e interiorização.

Oração

Deus Omnipotente, que estás em todo o Universo e na mais pequenina das tuas criaturas: Tu, que envolves na tua ternura tudo o que existe, derrama em nós a força do teu amor para cuidarmos da vida e da beleza.

DIA 25. “A sobriedade, vivida livre e conscientemente, é libertadora. Não se trata de menos vida, nem vida de baixa intensidade; é precisamente o contrário. Com efeito, as pessoas que saboreiam mais e vivem melhor cada momento são aquelas que deixam de debicar aqui e ali, sempre à procura do que não têm, e experimentam o que significa dar apreço a cada pessoa e a cada coisa, aprendem a familiarizar-se com as coisas mais simples e sabem alegrar-se com elas. Deste modo conseguem reduzir o número das necessidades insatisfeitas e diminuem o cansaço e a ansiedade. É possível necessitar de pouco e viver muito, sobretudo quando se é capaz de dar espaço a outros prazeres, encontrando satisfação nos encontros fraternos, no serviço, na frutificação dos próprios carismas, na música e na arte, no contacto com a natureza, na oração. A felicidade exige saber limitar algumas necessidades que nos entorpecem, permanecendo assim disponíveis para as múltiplas possibilidades que a vida oferece” (nº 223).

Breve momento de reflexão e interiorização.

Oração

Senhor Deus, Uno e Trino, comunidade admirável de amor infinito, ensina-nos a contemplar-Te na beleza do universo, onde tudo nos fala de Ti. Louvado sejas!

DIA 26. “A sobriedade e a humildade não gozaram de consideração positiva no século passado. Mas, quando se debilita de forma generalizada o exercício de alguma virtude na vida pessoal e social, isso acaba por provocar variados desequilíbrios, mesmo ambientais. Por isso, não basta falar apenas da integridade dos ecossistemas; é preciso ter a coragem de falar da integridade da vida humana, da necessidade de incentivar e conjugar todos os grandes valores. […] Não é fácil desenvolver esta humildade sadia e uma sobriedade feliz, se nos tornamos autónomos, se excluímos Deus da nossa vida fazendo o nosso eu ocupar o seu lugar, se pensamos ser a nossa subjectividade que determina o que é bem e o que é mal” (nº 224).

Breve momento de reflexão e interiorização.

Oração

Espírito Santo, que com a tua luz guias este mundo para o amor do Pai e acompanhas o gemido da criação, Tu vives também nos nossos corações a fim de os mover para o bem. Louvado sejas!

DIA 27. “Ninguém pode amadurecer numa sobriedade feliz, se não estiver em paz consigo mesmo. E parte de uma adequada compreensão da espiritualidade consiste em alargar a nossa compreensão da paz, que é muito mais do que a ausência de guerra. A paz interior das pessoas tem muito a ver com o cuidado da ecologia e com o bem comum, porque, autenticamente vivida, reflecte-se num equilibrado estilo de vida aliado com a capacidade de admiração que leva à profundidade da vida. A natureza está cheia de palavras de amor; mas, como poderemos ouvi-las no meio do ruído constante, da distracção permanente e ansiosa, ou do culto da notoriedade?” (nº 225-a).

Breve momento de reflexão e interiorização.

Oração

Deus Omnipotente, inunda-nos de paz, para vivermos como irmãos e irmãs sem prejudicar ninguém. Amen.