Tempo da criação – 1-5 de Setembro

O Dicastério da Santa Sé para a Promoção do Desenvolvimento Humano Integral, na linha das preocupações do Papa Francisco, convida a juntarmo-nos à família ecuménica para celebrar o TEMPO DA CRIAÇÃO , de 01 de Setembro a dia 04 de Outubro, Festa de S. Francisco de Assis. O objectivo ideal do que agora começa a ser partilhado é que, além da ler o texto e rezar, a nossa atenção para com as criaturas e a Natureza se torne cada dia mais atenta e transformadora.

Um momento oportuno para este “tempo diário com a criação” pode ser antes ou depois da refeição do dia em que esteja presente a maioria dos membros da família ou da comunidade (ver sugestão do Papa no texto do dia 30, nº 227). Após a leitura de cada texto, convém fazer uma breve pausa de silêncio (para poder reler o texto, se estiver só, ou para evocar a mensagem do texto que se ouviu). E só depois rezar a oração em itálico.

DIA 1. “LAUDATO SI’, mi’ Signore – Louvado sejas, meu Senhor», cantava São Francisco de Assis. Neste gracioso cântico, recordava-nos que a nossa casa comum se pode comparar ora a uma irmã, com quem partilhamos a existência, ora a uma boa mãe, que nos acolhe nos seus braços: «Louvado sejas, meu Senhor, pela nossa irmã, a mãe terra, que nos sustenta e governa e produz variados frutos com flores coloridas e verduras»” (nº 1).

Breve momento de reflexão e interiorização.

Oração

Deus Omnipotente, que estás em todo o universo e na mais pequenina das tuas criaturas: Tu, que envolves com a tua ternura tudo o que existe, derrama em nós a força do teu amor para cuidarmos da vida e da beleza. Amen.

DIA 2. “A nossa irmã terra clama contra o mal que lhe provocamos por causa do uso irresponsável e do abuso dos bens que Deus nela colocou. Crescemos a pensar que éramos seus proprietários e dominadores, autorizados a saqueá-la.

A violência, que está no coração humano ferido pelo pecado, vislumbra-se nos sintomas de doença que notamos no solo, na água, no ar e nos seres vivos.

Esquecemo-nos de que nós mesmos somos terra. O nosso corpo é constituído pelos elementos do planeta; o seu ar permite-nos respirar, e a sua água vivifica-nos e restaura-nos” (nº 2).

Breve momento de reflexão e interiorização.

Oração

Deus dos pobres, ajuda-nos a resgatar os abandonados e esquecidos desta terra que valem tanto aos vossos olhos. Cura a nossa vida, para protegermos o mundo e não o deprezarmos, para semearmos beleza e não poluição nem destruição.

DIA 3. “A contínua aceleração das mudanças na humanidade e no planeta junta-se, hoje, à intensificação dos ritmos de vida e de trabalho. Embora a mudança faça parte da dinâmica dos sistemas complexos, a velocidade que hoje lhe impõem as acções humanas contrasta com a lentidão natural da evolução biológica.

A isto vem juntar-se o problema de que os objectivos desta mudança rápida e constante não estão necessariamente orientados para o bem comum e para um desenvolvimento humano sustentável e integral. A mudança é algo desejável, mas torna-se preocupante quando se transforma em deterioração do mundo e da qualidade de vida de grande parte da humanidade (nº 18).

Breve momento de reflexão e interiorização.

Oração

Senhor, nosso Pai, toca os corações daqueles que buscam apenas benefícios à custa dos pobres e da terra. Obrigado por estares connosco todos os dias. Sustenta-nos, por favor, na nossa luta pela justiça, o amor e a paz.

DIA 4. “O conjunto do universo, com as suas múltiplas relações, mostra melhor a riqueza inesgotável de Deus. […] pois a sua bondade «não pode ser convenientemente representada por uma só criatura». […]

«A interdependência das criaturas é querida por Deus. O sol e a lua, o cedro e a florzinha, a águia e o pardal: o espectáculo das suas incontáveis diversidades e desigualdades significa que nenhuma criatura se basta a si mesma. Elas só existem na dependência umas das outras, para se completarem mutuamente no serviço umas das outras» (CIC, n. 340)” (nº 86).

Breve momento de reflexão e interiorização.

Oração

Nós Te louvamos, Pai, com todas as tuas criaturas, que saíram da tua mão poderosa. São tuas e estão cheias da tua presença e da tua ternura. Louvado sejas!

DIA 5. “Quando nos damos conta do reflexo de Deus em tudo o que existe, o coração experimenta o desejo de adorar o Senhor por todas as suas criaturas e juntamente com elas, como se vê neste gracioso cântico de São Francisco de Assis:

«Louvado sejas, meu Senhor, com todas as tuas criaturas, especialmente o meu senhor irmão sol, o qual faz o dia e por ele nos alumia. E ele é belo e radiante com grande esplendor: de Ti, Altíssimo, nos dá ele a imagem»” (nº 87). 

Breve momento de reflexão e interiorização.