A Necessidade do Equilíbrio [Valores da Espiritualidade Carmelita]

No último capítulo da nossa Regra Alberto dá este conselho: “Isto vos escrevemos brevemente para vos dar uma fórmula de vida, segundo a qual deveis viver. Se alguém fizer mais, o próprio Senhor, quando voltar, o recompensará. Fazei, porém, uso do discernimento, que é guia das virtudes”. A este discernimento chamamo-lo actualmente de sentido comum.

Abrir

Em Obséquio de Jesus Cristo [Valores da Espiritualidade Carmelita]

Quando Alberto, Bispo de Jerusalém e Patriarca da Terra Santa, escreveu a “Fórmula de Vida” (Regra) para os primeiros eremitas do Monte Carmelo teve em mente o maior acontecimento da história: o nascimento de Jesus, Deus Encarnado no meio do seu povo. Alberto fez deste acontecimento da fé o valor central da Regra do Carmelo: “Cada um deve viver em obséquio de Jesus Cristo e servi-lo fielmente…”.

Abrir

A Beleza da Criação [Valores da Espiritualidade Carmelita]

O nosso nome deriva do nome de um lugar da Terra Santa: Monte Carmelo. Na nossa tradição olhamos para Maria chamando-a “Beleza do Carmelo”, “Flor do Carmelo”, “Estrela do Mar”, etc. Os símbolos da nossa espiritualidade são frequentemente tomados da natureza: deserto, montanha, fogo, água, chama, flores.

Abrir

A presença de Deus [Valores da Espiritualidade Carmelita]

O salmo 42 diz: “Como suspira o veado pela corrente das águas, assim minha alma suspira por vós, Senhor”. Durante séculos este desejo ardente foi expresso com a expresssão latina vacare Deo, uma disponibilidade total para com Deus, para estar sempre e cada vez mais consciente da Sua presença na nossa vida.

Abrir