Nove dias com Maria – II

2º Dia: MARIA, ESPLÊNDIDA NO SERVIÇO

À escuta da Palavra: A visitação (Lc 1, 39-45).

Reflexão: Logo que recebe o anúncio do anjo, a Mãe do Senhor põe-se a caminho para saudar e ajudar a sua prima Isabel, de idade avançada, que espera um filho. O Evangelho diz-nos que ela caminha apressadamente, para pôr-se ao serviço de quem precisa da sua ajuda. A Virgem não se envaidece (o anúncio não lhe sobe à cabeça) porque nela se cumprirá a esperança de Israel, mas na maior da humildade, caminha para prestar um serviço nas pequenas e humildes tarefas do lar.

Compromisso: comprometo-me a prestar ajuda às pessoas que estão mais próximas de mim. E com a finalidade de imitar a Virgem Maria, procurarei ser mais serviçal com aquelas pessoas que me parecem menos simpáticas.

Sugestão: A leitura proposta pode ser feita na Bíblia On-line da Difusora Bíblica em: http://www.paroquias.org/biblia/index.php

Abrir

Nove dias com Maria – I

A Solenidade de Nossa Senhora do Carmo celebra-se no dia 16 de Julho. Habitualmente faz-se uma preparação (tríduo ou novena). Nos próximos nove dias caminharemos em comum na preparação desta Solenidade.

1º Dia: MARIA, EXEMPLO DE ACOLHIMENTO

À escuta da Palavra: A Anunciação (Lc 1, 26-38).

Reflexão: Os Evangelhos começam por apresentar Maria como a mulher que acolhe o projecto de Deus em atitude de oração: escuta, medita, consente e responde “sim” a Deus que chama. Em suma: acolhe. Este acolhimento gera nela a Vida: “A Palavra fez-se carne”.

Compromisso: ler uma página do Evangelho para ver o que Deus quer de mim na vida de cada dia.

Abrir

O amor de Cristo

O nosso próximo é todo aquele que está diante de nós e tem necessidade de nós; não importa se é nosso familiar ou não, se nos “agrada” ou não, se é ou não “moralmente digno” de ajuda.

O amor de Cristo não conhece fronteiras, nunca se cansa, não tem repugnância da sujidade e da miséria. Cristo veio para os pecadores e não para os justos.

E se o amor de Cristo vive em nós, então agiremos como Ele, e iremos à procura das ovelhas perdidas.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edite  Stein)

Abrir

Cristo, palavra definitiva

Ao dar-nos como nos deu o seu Filho, que é a sua Palavra, e não tem outra, tudo nos falou de uma vez nesta única Palavra, e não tem mais que falar. […] Deus ficou como mudo e não tem mais que falar pois disse-nos tudo, ao dar-nos o Tudo, que é o seu Filho.

São João da Cruz

Abrir

Virtudes

Jamais creiais que adquiristes uma virtude, enquanto não a tiverdes provado com aquilo que lhe é contrario.

Santa Teresa de Ávila

Abrir

Estar com Deus

Para estar com Deus não é necessário estar sempre na igreja; o nosso coração pode ser o oratório para onde nos podemos retirar de vez em quando para conversar com Ele com mansidão, humildade e amor.

Frei Lourenço da Ressurreição

 

Abrir