Sexta-Feira Santa

Esta sexta-feira é Santa. Grande. Autêntica. Vê-se Jesus exposto na Cruz por todo o lado. Solene exposição. Mesmo fechando os olhos, as janelas e as portas, Tu rebentas as comportas com jatos de Luz, E saltas as trincheiras do meu coração. Vem, Senhor Jesus, Entra pela janela dos meus olhos, Enche todos os recantos do meu ser, Ilumina todos os redutos, E faz-me ver que todo o comodismo e egoísmo É sem raiz nem flor nem frutos. Irei, Senhor, em procissão de amor, beijar a tua Cruz. E quando eu olhar para ti, para o teu rosto ferido e desfigurado, Para as tuas muitas chagas a sangrar, Dá-me a graça de aí ver bem o meu pecado. E quando Tu, Senhor, olhares para mim, Com esse meigo olhar de serena compaixão, Dá-me a graça de ver o teu perdão nunca poupado, E de sair com o coração transfigurado.

D. António Couto

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *