Caminhando através do Advento (16): a encarnação libertadora

A glória do homem é Deus; por sua vez, o beneficiário da actuação de Deus, de toda a sua sabedoria e poder, é o homem. Assim como a competência do médico se revela nos doentes, assim Deus Se manifesta nos homens…

Se o homem acolhe, sem vaidade nem presunção, a verdadeira glória que procede das criaturas e do criador, isto é, de Deus todo-poderoso que a todos dá a existência, e se permanece em seu amor, obediência e acção de graças, receberá d’Ele uma glória ainda maior, progredindo sempre mais, até se tornar semelhante Àquele que por si morreu.

Com efeito, o Filho de Deus tomou uma existência seme­lhante à da carne pecadora, a fim de condenar o pecado e, depois de o condenar, arrojá-lo fora da carne. Assumiu a carne para animar o homem a tornar-se semelhante a Si mesmo, destinando-o a ser imitador de Deus e elevando-o ao reino do Pai, para que pudesse ver a Deus e ter acesso ao Pai. O Verbo de Deus habitou entre os homens e fez-Se Filho do homem para acostumar o homem a compreender a Deus e Deus a habitar no homem, de acordo com o beneplácito do Pai. Foi por isso que o mesmo Senhor nos deu como sinal da nossa salvação Aquele que é Deus-connosco, nascido da Virgem…

Santo Ireneu

Oração

Senhor nosso Deus, que revelastes ao mundo o esplendor da vossa glória pelo nascimento do Filho da Virgem Maria, concedei-nos a graça de celebrarmos o grande mistério da Encarnação com verdadeira fé e sincera piedade. Por Nosso Senhor Jesus Cristo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *