Domingo da Ascensão do Senhor – Ano A

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus (Mt 28, 16-20)

Naquele tempo os onze discípulos partiram para a Galileia, para o monte que Jesus lhes tinha indicado. Quando o viram, adoraram-no; alguns, no entanto, ainda duvidavam. Aproximando-se deles, Jesus disse-lhes: «Foi-me dado todo o poder no Céu e na Terra. Ide, pois, fazei discípulos de todos os povos, baptizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a cumprir tudo quanto vos tenho mandado. E sabei que Eu estarei sempre convosco até ao fim dos tempos.»

Mensagem

Tudo começou na Galileia. Foi ali que os discípulos escutaram o primeiro chamamento e onde Jesus prometeu reuni-los de novo, depois da sua ressurreição. O encontro ocorre num “monte” da Galileia, do qual não se diz o nome. Na Bíblia, o “monte” é o lugar do encontro com Deus e da revelação de Deus ao homem. Neste caso, Jesus aparece como o novo Moisés, o qual, tendo contemplado do cimo do monte que Deus lhe indicara a terra que Deus tinha prometido a Abraão e aí, obedecendo ao mandato divino, instituíra Josué como seu sucessor para apascentar o Povo de Deus, agora, também Jesus, enquanto Deus, confia aos apóstolos todas as nações da terra que Ele adquiriu com o seu Sangue, arrebatando-as ao poder de Satanás, para de entre elas formar o novo Povo de Deus.

E sabei que Eu estarei sempre convosco até ao fim dos tempos”. Quando Moisés foi enviado para libertar o povo do Egipto, recebeu de Deus uma certeza, a única certeza que oferece uma total garantia: “Vai, Eu estarei contigo!”. Esta mesma certeza foi dada aos profetas e a outras pessoas enviadas por Deus para desenvolverem uma missão importante relativa ao projecto de Deus. Maria recebeu a mesma certeza quando o anjo lhe disse: “O Senhor está contigo”. Jesus, em pessoa, é a expressão viva desta certeza, porque o seu nome é Emanuel, Deus connosco. Ele estará com os seus discípulos, com todos nós, até ao fim dos tempos.

Sozinhos, sem Jesus, nada podemos fazer! Na obra apostólica só as nossas forças, os nossos recursos, as nossas estruturas não são suficientes, embora sejam necessárias. Sem a presença do Senhor e sem a força do seu Espírito o nosso trabalho, mesmo se bem organizado, resulta ineficaz.

Palavra para o caminho

Com a sua Ascensão, o Senhor ressuscitado quer mostrar-nos que a meta do nosso caminho é o Pai. A nossa primeira tarefa é sermos testemunhas da Bondade de Deus. 

“A Igreja existe para anunciar o Evangelho! Só para isto. E também, a alegria da Igreja é anunciar o Evangelho. A Igreja somos todos nós baptizados. Hoje somos convidados a compreender melhor que Deus nos deu a grande dignidade e responsabilidade de O anunciar ao mundo, de O tornar acessível à humanidade. Esta é a nossa dignidade, esta é a maior honra de cada um de nós, de todos os baptizados!” (Papa Francisco).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *