Caminhada quaresmal com Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) – 2

REZAR CADA DIA DA SEMANA COM SANTA TERESA BENEDITA DA CRUZ: 11-16 DE MARÇO

Segunda-feira, 11 de Março: ultrapassar o ressentimento

– «Não guardarás rancor aos filhos do teu povo» (Lv 19, 18).

– «Nós não temos de julgar e devemos ter confiança na misericórdia insondável de Deus» (Edith Stein).

– O ressentimento é o que fecha mais o coração à graça. Senhor, vem libertar-me dele. Perdoar, não é apagar o mal, é desejar que nos encontremos todos, convertidos e perdoados, no último dia.

Terça-feira, 12 de Março: o caminho do perdão

– «Perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos aos que nos têm ofendido» (Mt 6, 12).

– «Cada um é responsável pela sua própria salvação na medida em que ela pode ser obtida pela cooperação da sua liberdade, e não sem ela. E cada um é, ao mesmo tempo, responsável pela salvação de todos os outros, na medida em que tem a possibilidade de implorar a graça, pela sua oração, para cada um» (Edith Stein).

– Perdoar não é ser simpático, é recusar a lógica das represálias e orar para que se abra o caminho de Deus no coração de todos. Faço memória dos perdões dados e recebidos que têm sido, para mim, importantes. Tenho algum passo a dar no dia de hoje?

Quarta-feira, 13 de Março: clamar a Deus

– «Clamem a Deus com força; converta-se cada um do seu mau caminho e da violência que há nas suas mãos» (Jonas 3, 8).

– «Aquilo a que tenho de responder tenho de responder diante de Deus. Em que é que isso consiste, quer dizer, qual é o meu dever, a minha consciência mo diz. O resultado é assunto da minha liberdade» (Edith Stein).

– A misericórdia de Deus permite-me começar uma vida nova escolhendo Deus. Isso resulta em actos. Vejo o caminho que se abre diante de mim? Tenho vontade de o seguir?

Quinta-feira, 14 de Março: amar no quotidiano

– «Ora bem, se vós, sendo maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o vosso Pai que está no Céu dará coisas boas àqueles que lhas pedirem! Portanto, o que quiserdes que vos façam os homens, fazei-o também a eles» (Mt 7, 12).

– «Nas nossas condições habituais de existência, não existe nenhuma outra possibilidade de dar a Deus amor por amor do que cumprir fielmente os seus deveres quotidianos, até ao mais pequeno detalhe; sem deixar passar alguma ocasião de servir os outros por amor» (Edith Stein).

– O Pai dá-nos o seu Espírito sobreabundantemente e este Espírito é irradiação de amor. Posso cumprir um acto quotidiano que, habitualmente, me faz «gemer» pondo nele muito amor ao invocar o Espírito?

Sexta-feira, 15 de Março: O olhar

– «Eu, porém, digo-vos: Quem se irritar contra o seu irmão será réu perante o tribunal» (Mt 5, 22).

«Concordar com a nossa impotência e pobreza e abandonarmo-nos com muito mais confiança ao amor todo-poderoso, é a grande sabedoria que devemos penetrar sem cessar, de novo e sempre mais profundamente» (Edith Stein).

– Jesus, o doce, o misericordioso, coloca-nos diante das exigências radicais do Amor divino. Sem Ele sou incapaz de cumprir o que Ele me pede. Diante d’Ele, o Crucificado, que amou totalmente, demoro um tempo a olhá-Lo, a mendigar o seu Espírito…

Sábado, 16 de Março: ser tal como Ele me criou

– «Portanto, sede perfeitos como é perfeito o vosso Pai celeste» (Mt 5, 48).

– «Deus conduz o ser humano a tornar-se autenticamente humano. […] A pessoa que põe a sua vida nas mãos de Deus pode estar segura, vai-se tornando inteiramente ela mesma, quer dizer, vai-se tornar aquilo que Deus pensou que ela fosse» (Edith Stein).

– Como ser perfeito como Deus? Simplesmente, deixando-me ser como Ele me criou…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *