20 de Fevereiro: Santos Francisco e Jacinta Marto

Fátima, os Pastorinhos, o Carmelo e um Milagre

Se eu pudesse meter no coração de toda a gente o lume que tenho cá dentro no peito a queimar-me e a fazer-me gostar tanto do Coração de Jesus e do Coração de Maria!” (Memórias da Irmã Lúcia III, 9).

Ave Maria Puríssima!

O Frei Manuel Castro, responsável pela revista “Família Carmelita”, da Ordem do Carmo em Portugal, pediu-me que escrevesse algo sobre a ligação entre a cura do menino Lucas, que conduziu à canonização dos Pastorinhos Francisco e Jacinta, e o nosso Carmelo de Campo Mourão (foto acima: capela do Carmelo “Nossa Senhora do Carmo” onde se pode ver Lucas, Irmã Teresa e os santos pastorinhos Francisco e Jacinta. Foto abaixo: Lucas e o Papa Francisco no dia da canonização de Francisco Marto e Jacinta Marto, em Fátima, em 13 de Maio de 2017). Faço-o com muito gosto.

As maravilhas e grandezas que Deus opera pela intercessão dos seus Santos são muitas, e na maioria das vezes a Omnipotência Divina escolhe frágeis instrumentos para manifestar a sua grandeza e infinita Misericórdia.

Aconteceu em 2013 o acidente de uma criança que comoveu uma pequena cidade e cuja notícia bateu às portas do nosso Mosteiro. Lucas caiu de uma altura de 6 metros, da janela da casa dos avós, onde brincava com sua irmãzinha. Ficou em coma muito grave pela fratura craniana com perda de massa encefálica, teve duas paragens cardíacas e os médicos achavam que tinha poucas probabilidades de sobreviver e se sobrevivesse ficaria com graves sequelas.

No mesmo dia do acidente, pessoas ligaram para o nosso Mosteiro pedindo orações pelo Lucas e pela família. Num primeiro telefonema a Irmã porteira não passou o recado à Comunidade pois, comovida com o fato, sentiu que deveria rezar apenas pelo conforto da família, pois pela gravidade do acidente não tinha esperanças que o menino Lucas fosse salvo. Era um domingo, 03 de Março. Passados uns dias a saúde da criança piorava e novamente uma pessoa nos telefonou perguntando: “Vocês estão rezando pelo Lucas? Ele ainda corre muito risco de vida e a família encontra-se muito aflita”. Desta vez outra Irmã atendeu o telefonema e passou o pedido de oração à Comunidade que estava reunida em recreação.

Eu já tinha uma antiga amizade com o Francisco e a Jacinta. Um sacerdote, amigo meu, me fez conhecer melhor a vida destes dois grandes Santos quando me pediu orações pela causa de canonização dos Beatos. Sempre recorria a eles em minha vida espiritual e também pedindo a sua intercessão pelas pessoas que me pediam orações. Francisco, o místico e contemplativo, me fez amar mais a Jesus escondido no Santíssimo Sacramento, a contemplar os mistérios de Deus, sendo exemplo para mim de absoluta docilidade à vontade Divina e no seu intenso amor e desejo de consolar o coração de Deus. Jacinta, a apóstola apaixonada, com o seu testemunho de imolação e doação sempre me ajudou a procurar ser generosa nos sacrifícios e imolação de minha vida pela Igreja, pelos sacerdotes e pela conversão e salvação das almas, ensinando-me a amar cada dia mais o Coração Imaculado de Maria e os mistérios do Rosário.

Por isso, no momento em que recebemos o pedido de oração pelo Lucas, ali mesmo na sala de recreação senti-me interiormente comovida e rezei: “Bem que vocês poderiam fazer este milagre para esta criança!”. Ao final do dia, estando eu nos afazeres da sacristia, ao colocar a chave no sacrário cujo chaveiro possuiu a medalha do Francisco e da Jacinta de um lado e do outro o Imaculado Coração de Maria e onde estavam também as relíquias dos Pastorinhos, rezei com firme confiança pedindo aos dois: “Francisco e Jacinta, curem o Lucas, por favor!”. E ali permaneci uns instantes diante de Jesus escondido e fazendo minha súplica ao Francisco e à Jacinta. No momento tive a certeza de que fui atendida. Foi uma oração simples, breve, mas diferente. Uma firme confiança em Deus me fazia crer que o céu havia ouvido minha oração. Não houve nenhum sinal concreto que me deu essa certeza mas sim uma moção interior me dizia que o Lucas estava bem. Na celebração da Eucaristia pedi às minhas Irmãs para rezarem também por essa intenção. E por Bondade de Deus e intercessão dos Santos, o milagre aconteceu. No dia seguinte, sábado, dia dedicado a Nossa Senhora, Lucas acordou do coma induzido, totalmente lúcido e sem nenhuma sequela o que surpreendeu os médicos e a todos nós.

Duas crianças curaram uma criança! A Misericórdia de Deus quis agir e salvar por intercessão de dois pequenos grandes Santos, hoje reconhecidos como tais pela Igreja, onde do céu continuam a interceder por todos nós, pelos sofrimentos da humanidade, pela santificação das almas conduzindo-as por Maria até Jesus.

Gosto tanto de Deus!”, exclamava Francisco. E a Jacinta : “Não sei como é! Sinto a Nosso Senhor dentro em mim. Compreendo o que me diz e não O vejo nem oiço; mas é tão bom estar com Ele!”. É paradoxal como duas crianças podem conduzir-nos, nós que nos consideramos grandes, no caminho da fé e da santidade. Mas esse é o agir de Deus que nos surpreende com a sua grandeza manifestada nos simples e pequenos.

O que mais me chamou a atenção neste milagre, que foi o milagre para a canonização, é que tenha ocorrido num Carmelo. Parece-me que tudo está perfeitamente entrelaçado e bem escrito por Deus. Os Pastorinhos na sexta aparição de Nossa Senhora em Fátima, no milagre do Sol, viram também Nossa Senhora do Carmo, manifestando já um prelúdio da vocação de Lúcia que se tornou monja Carmelita no Carmelo de Coimbra. Isso manifesta o estreito vínculo entre Fátima e o Carmelo que a meu ver possui uma missão especial dentro da mensagem de Fátima, sendo sinal profético de oração, comunhão com Deus e zelo apostólico pela salvação das almas.

O milagre do Lucas que levou à canonização dos Pastorinhos nos dá a entender que precisamos continuar a missão de Lúcia no anúncio da mensagem de Fátima, dos pedidos de Nossa Senhora, dentro da vivência do nosso carisma e do próprio Evangelho. Assim é que elevamos o nosso “Magnifica” aos céus pelos sinais e obras que Ele realiza e que se tornam para todos nós hoje, um impulso para buscarmos com maior fervor a santidade para assim podermos cantar um dia com os Santos Francisco e Jacinta e todos os Santos Carmelitas as Misericórdias de Deus, no céu.

31 de Maio de 2017, Festa da Visitação de Nossa Senhora

Carmelo “Nossa Senhora do Carmo”, Campo Mourão, Paraná, Brasil

Irmã Teresa Margarida do Divino Coração, OCD

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *