Fidelidade não é estagnação

A fidelidade não é a pessoa manter-se sempre onde está. Pode ser que, por fidelidade ao bem maior e à minha consciência e até ao bem do outro, eu deva tomar uma opção de mudança para ser fiel. Para ser fiel à vontade de Deus, ao bem maior, à minha consciência, não devo continuar, se calhar, uma situação estragada. Fidelidade pode consistir assim numa mudança bem feita. Mas a mudança até pode ser na mesma relação ou na mesma situação, que tem que ser vivida de outro modo para ser fiel. Fidelidade não é estar preso ao passado, é nunca desistir do objectivo com que me comprometi. E recomeçar cada dia.

Vasco P. Magalhães, sj

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *