Quando se ama…

Quando se ama tudo é alegria, a cruz não pesa, o martírio não se sente, vive-se mais no céu do que na terra.

Santa Teresa dos Andes

Abrir

Cristo, palavra definitiva e total

Já te disse tudo na minha Palavra, que é o Meu Filho – e não tenho outra – que mais te posso Eu responder agora ou revelar? Põe os olhos só n’Ele, porque n’Ele tudo disse e revelei, e acharás ainda mais do que pedes e desejas. Tu pedes locuções e revelações às migalhas, mas, se fixares n’Ele o teu olhar, acharás tudo. Ele é toda a minha locução e resposta, toda a minha visão e revelação. Ao dar-vo-l’O por Irmão, Companheiro, Mestre, Preço e Prémio, já vos falei, respondi, manifestei e revelei tudo. Desde o dia que desci com o meu Espírito sobre Ele no monte Tabor, dizendo: Quer dizer: «Este é o meu Filho muito amado, no Qual pus todo o Meu encanto, escutai-O», (Mt 17, 5). abandonei todas essas maneiras de ensinamentos e respostas, e tudo Lhe confiei a Ele. Escutai-O, porque Eu já não tenho mais fé para revelar, nem mais nada a manifestar. Porque, se falava antes, era prometendo a Cristo; e, se Me perguntavam, as perguntas eram orientadas à petição e esperança de Cristo, no qual haviam de encontrar o Bem total.

São João da Cruz

Abrir

1º Domingo da Quaresma

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos (Mc 1, 12-15)

Em seguida, O Espírito impeliu-o para o deserto. E ficou no deserto quarenta dias. Era tentado por Satanás, estava entre as feras e os anjos serviam-no.

Depois de João ter sido preso, Jesus foi para a Galileia, e proclamava o Evangelho de Deus, dizendo: «Completou-se o tempo e o Reino de Deus está próximo: arrependei-vos e acreditai no Evangelho».

Para ter acesso ao comentário do 1º Domingo da Quaresma, Ano B, visite: http://www.ordem-do-carmo.pt/

Abrir

6º Domingo do Tempo Comum

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos (Mc 1, 40-45)

Um leproso veio ter com Ele, caiu de joelhos e suplicou: «Se quiseres, podes purificar-me». Compadecido, Jesus estendeu a mão, tocou-o e disse: «Quero, fica purificado». Imediatamente a lepra deixou-o, e ficou purificado. E logo o despediu, dizendo-lhe em tom severo: «Livra-te de falar disto a alguém; vai, antes, mostrar-te ao sacerdote e oferece pela tua purificação o que foi estabelecido por Moisés, a fim de lhes servir de testemunho». Ele, porém, assim que se retirou, começou a proclamar e a divulgar o sucedido, a ponto de Jesus não poder entrar abertamente numa cidade; ficava fora, em lugares despovoados. E de todas as partes iam ter com Ele.

Para ter acesso ao comentário do 6º Domingo do Tempo Comum, Ano B, visite: www.ordem-do-carmo.pt 

Abrir

Abandono e confiança

Parece-me que o bom Deus lhe pede um abandono e confiança sem limites nas horas dolorosas em que sente esses terríveis vazios. Pense que, nessa altura, Ele está a escavar na sua alma maiores capacidades para O receber, de algum modo infinitas como Ele mesmo. Tente, então, pela vontade, ficar inteiramente feliz, mesmo sob a mão que a crucifica; dir-lhe-ei até que encare cada sofrimento, cada provação “como uma prova de amor”, que lhe venha directamente da parte do bom Deus, para se unir a Ele.

Santa Isabel da Trindade

Abrir

5º Domingo do Tempo Comum

EVANGELHO DO 5º DOMINGO (B) (Mc 1, 29-39)

Saindo da sinagoga, foram para a casa de Simão e André, com Tiago e João. A sogra de Simão estava de cama com febre, e logo lhe falaram dela. Aproximando-se, tomou-a pela mão e levantou-a. A febre deixou-a e ela começou a servi-los. À noitinha, depois do sol-pôr, trouxeram-lhe todos os enfermos e possessos, e a cidade inteira estava reunida junto à porta. Curou muitos enfermos atormentados por toda a espécie de mal e expulsou muitos demónios; mas não deixava falar os demónios, porque sabiam quem Ele era.

De madrugada, ainda escuro, levantou-se e saiu; foi para um lugar solitário e aí se pôs em oração. Simão e os companheiros foram à procura d’Ele. E, tendo-o encontrado, disseram-lhe: «Todos te procuram». Mas Ele respondeu-lhes: «Vamos para outra parte, para as aldeias vizinhas, a fim de pregar aí, pois foi para isso que Eu vim». E foi por toda a Galileia, pregando nas sinagogas deles e expulsando os demónios.

Para ter acesso ao comentário do 5º Domingo do Tempo Comum, Ano B, visite: http://www.ordem-do-carmo.pt/content/blogsection/5/31/

Abrir

Missão do Carmelo

A Ordem Carmelita recebeu a missão de continuar na Igreja, Corpo Místico de Cristo, o amor que Jesus tinha para com a sua Mãe.

Venerável Miguel de São Agostinho

Oremos: Senhor, nosso Deus, durante a vida terrena de teu Filho, quem tocasse nas franjas do seu manto ficava curado. Nós te louvamos, Senhor, porque ainda hoje, a tua Igreja, continua a usar os meios mais humildes para nos mostrar a Tua imensa misericórdia, com que cumulaste Maria, nossa Mãe. O Escapulário do Carmo, sinal do amor materno da Virgem Maria, recorda-nos o seu amor para com a Ordem que lhe está consagrada, e convida-nos a imitar as suas virtudes. Sinal de comunhão e de participação no espírito e na vida da Ordem do Carmo, é sinal da nossa contínua oração e da particular dedicação ao amor e serviço da Virgem Maria. Por isso, ó Pai, olha com benevolência aqueles que se revestem com o Escapulário do Carmo. Faz com que, deixando-se amar pela Virgem Maria, Mãe do vosso Filho e Mãe do Carmelo, sejam conformes à imagem de Jesus Cristo. E depois de terem percorrido, livres de todos os perigos, o caminho da vida, possam entrar na glória da Tua casa. Por Cristo Nosso Senhor. Amen.

Abrir

O sonoro silêncio de Maria

Na Sagrada Escritura encontramos poucas palavras da Virgem, mas são como grãos de ouro puro: se os fundirmos com o fogo de uma amorosa contemplação, serão suficientes para irradiar sobre toda a nossa vida o esplendor luminoso das virtudes de Maria.

Santa Teresa Benedita da Cruz

Abrir